Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.104,93
    +755,14 (+1,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Ibovespa fecha na máxima em quase 1 mês com ajuda do Fed

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa avançou 2% nesta quarta-feira e fechou na máxima em quase um mês, fortalecido pelo desfecho da reunião do Federal Reserve, que melhorou a projeção de crescimento econômico dos Estados Unidos este ano, mas repetiu a promessa de manter a meta de juros próxima de zero nos próximos anos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa encerrou em alta de 2,05%, a 116.359,55 pontos, maior patamar de fechamento desde 19 de fevereiro, de acordo com dados preliminares. O volume financeiro somava 29,7 bilhões de reais.

Investidores agora aguardam o resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) ainda nesta quarta-feira, quando Banco Central deve promover a primeira alta em quase seis anos da taxa básica de juros, atualmente em 2% ao ano. A maioria dos economistas espera uma elevação de 0,5 ponto percentual.

(Por Paula Arend Laier)