Mercado abrirá em 3 h 46 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,96
    +0,76 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.769,20
    +5,50 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    16.899,11
    +448,92 (+2,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,60
    +12,88 (+3,31%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    18.632,68
    +428,00 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.548,00
    +23,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4703
    +0,0137 (+0,25%)
     

Ibovespa fecha em queda de mais de 2% com tombo de Bradesco

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em forte queda nesta quarta-feira, com Bradesco despencando 17,4% após um desempenho trimestral decepcionante, enquanto um resultado sólido assegurou à Gerdau uma alta de 4,7%, em sessão repleta de balanços corporativos.

Incertezas sobre a transição do governo no Brasil, bem como o desempenho negativo em Wall Street, em meio a uma eleição de meio de mandato acirrada e expectativa de dados de inflação nos Estados Unidos, corroboraram as perdas na bolsa paulista.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 2,22%, a 113.580,09 pontos. O volume financeiro somou 42,4 bilhões de reais.

"A queda se deu principalmente devido a resultados mais fracos que o esperado por empresas de diversos setores e foi acentuada pela piora dos mercados internacionais", afirmou o economista sênior do Banco ABC Brasil, Adriano Ribeiro.

Em Wall Street, o S&P 500 fechou em baixa de 2,09%, tendo no radar eleições para o Congresso norte-americano e as consequências do pleito sobre a agenda do presidente dos EUA, Joe Biden.

Na quinta-feira, as atenções devem ficar voltadas para o índice de preços ao consumidor (CPI) de outubro, com agentes financeiros em busca de sinais para calibrar suas apostas para os próximos passos do Federal Reserve.

Ribeiro acrescentou que, no Brasil, investidores também continuam acompanhando a equipe de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva e o potencial gasto "extra teto" a ser definido pelo desenrolar da PEC da Transição.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) está sendo desenhada pela equipe de transição de governo para equacionar o pagamento de 600 reais do Auxílio Brasil no próximo ano, promessa de campanha do petista.

Nesta quarta, em sua primeira visita a Brasília após as eleições, Lula se reuniu com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em duas visitas institucionais em que se negociou o caminho para aprovação da PEC.

DESTAQUES

- BRADESCO PN desabou 17,38%, a 15,35 reais, após o segundo maior banco privado do país reportar uma queda surpreendente no lucro do terceiro trimestre, com aumento nas provisões para perdas esperadas com calotes e sinalizar um final de ano ainda difícil. O BTG Pactual e Citi cortaram a recomendação das ações para "neutra" e reduziram o preço-alvo a 21 e 19 reais, respectivamente. Foi a maior queda diária desde setembro de 1998, com a perda de valor de mercado do banco no dia alcançando cerca de 31 bilhões de reais.

- BANCO DO BRASIL ON, que reporta seus números após o fechamento nesta quarta-feira, caiu 2,65% e ITAÚ UNIBANCO PN, que divulga balanço na quinta-feira, recuou 4,80%.

- QUALICORP ON despencou 15,6%, a 6,87 reais, após reportar lucro líquido de 49 milhões de reais no terceiro trimestre, um recuo de 55,4% ante mesmo período do ano passado e abaixo das expectativas. Além de um resultado fraco, analistas chamaram a atenção para perspectivas desafiadoras, estimando que restrições de renda devem continuar em 2023.

- GERDAU PN subiu 4,7%, a 28,51 reais, após a siderúrgica reportar um resultado acima do esperado por analistas no terceiro trimestre, embora menor do que um ano antes, e anunciar dividendo bilionário. Executivos da companhia minimizaram receios de recessão, afirmando ver demanda sólida em 2023 nos EUA e Brasil. "Apesar do momento de enfraquecimento da indústria siderúrgica global, vemos a Gerdau bem posicionada para enfrentar a tempestade", afirmaram analistas do BTG Pactual.

- PETZ ON avançou 8,82%, a 8,88 reais, após a rede de pet shops publicar queda no lucro do terceiro trimestre, mas crescimento da receita bruta total, em meio a um expressivo ritmo de expansão de lojas. Para analistas do Itaú BBA, a Petz reportou resultados negativos e em linha com as expectativas, que também já estavam no preço dos papéis. Na véspera, as ações haviam fechado em baixa de 6,2%.

- MÉLIUZ ON caiu 5,69%, a 1,16 real, após prejuízo líquido de 18 milhões de reais no terceiro trimestre, aumento de cerca de seis vezes em relação ao desempenho negativo de um ano antes, embora a receita tenha avançado mais de 60% no período. "Apesar do crescimento robusto de suas operações, vemos o resultado da Méliuz como negativo, pois a empresa voltou a apresentar custos e despesas crescentes", disse a XP Investimentos.

- BRASKEM PNA recuou 5,53%, a 29,88 reais, após a petroquímica publicar na noite da véspera prejuízo de 1,1 bilhão no terceiro trimestre, ante lucro de 3,5 bilhões um ano antes, refletindo queda nas receitas e aumento nos custos. Após o balanço, que considerou "muito fraco", o Bradesco BBI cortou estimativas para a companhia, bem como a recomendação para as ações a "neutra" e o preço-alvo de 62 reais para 35 reais.

- TOTVS ON valorizou-se 4,02%, a 33,39 reais, na esteira de um lucro líquido de 155,8 milhões de reais no terceiro trimestre, avanço de 75,2% na comparação com o mesmo período de 2021. A Totvs, segundo a Guide Investimentos, entregou um resultado com melhora em todos os seus segmentos. "Acreditamos que ventos estruturais, como queda na taxa de juros, podem impulsionar ainda mais os números da Totvs", afirmou a equipe da Guide.

- AREZZO ON caiu 4,26%, a 93,57 reais, mesmo após o grupo de moda reportar alta de 26% no lucro líquido ajustado no terceiro trimestre ano a ano, com aumento nas vendas e melhora da margem bruta. De acordo com o Goldman Sachs, a Arezzo apresentou resultados sólidos, mas amplamente em linha com as expectativas.

- ENGIE BRASIL ON subiu 0,9%, a 40,41 reais, tendo no radar lucro líquido ajustado de 710 milhões de reais no terceiro trimestre deste ano, cifra 17,2% superior que a verificada um ano antes. A companhia também anunciou crédito de dividendos intercalares complementares de 472,8 milhões de reais. "A empresa apresentou resultados interessantes, dentro do esperado, mantendo boa gestão de seus ativos", avaliou Genial Investimentos.

- AMERICANAS ON recuou 8,44%, a 13,89 reais, também entre as maiores quedas do Ibovespa. Analistas do JPMorgan cortaram a recomendação das ações para "underweight", bem como o preço-alvo para 12,50 reais, de 17 reais anteriormente.

- XP INC disparou 7,35%, a 19,70 dólares, em Nova York, após reportar lucro líquido de 1,15 bilhão de reais no terceiro trimestre, alta de 11% sobre um ano antes, com o bom desempenho em clientes de atacado mais do que compensando a fraca performance no varejo. A plataforma de investimentos também anunciou um aumento de 1 bilhão de reais no seu programa de recompra de ações. "A XP apresentou resultados resilientes, apesar do ambiente desafiador,", afirmou o Morgan Stanley.

- PETROBRAS PN fechou em baixa de 1,65%, a 26,90 reais, em dia de queda do preço do petróleo Brent no exterior, enquanto os papéis da empresa seguem vulneráveis a especulações sobre os potenciais reflexos da troca do governo a partir de 2023 nos negócios da petrolífera de controle estatal.

- VALE ON caiu 1,22%, a 73,15 reais, em mais uma sessão de alta dos preços do minério de ferro na Ásia. O contrato da commodity mais negociado na bolsa de Dalian, na China, encerrou as negociações diurnas com alta de 2,6%, a 686 iuans (94,62 dólares) a tonelada, depois de atingir seu maior valor desde 24 de outubro, a 691,50 iuans.