Mercado fechará em 5 h 25 min

Ibovespa fecha em alta pelo 6º pregão com suporte de Vale; Itaú Unibanco avança

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta pelo sexto pregão consecutivo nesta terça-feira, conforme Vale acelerou os ganhos para mais de 2% durante a sessão e Itaú Unibanco avançou 2,6% após resultado robusto de segundo trimestre e melhora de previsões para o ano.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,23%, a 108.651,05 pontos. A alta das ações da Petrobras também ajudou a assegurar o encerramento positivo, após o índice cair a 107.841,98 na mínima do pregão. O volume financeiro somou 26,8 bilhões de reais.

Na máxima do dia, o Ibovespa chegou a 109.331,29 pontos, um avanço acumulado no mês de quase 6%, o que abriu espaço para realização de lucros, principalmente em ações de consumo, que subiram recentemente diante da aposta de que o ciclo de alta de juros no país acabou ou está perto do fim.

A ata da última reunião do Copom, que elevou a Selic a 13,75% ao ano, na visão de agentes do mercado, confirmou essa percepção, embora tenha sinalizado que a taxa deve seguir em território significativamente contracionista por um período suficientemente prolongado.

"A mensagem (da ata) é consistente com a nossa previsão de Selic terminal a 13,75%, com reduções (na taxa) começando no próximo ano levando a Selic para 10,50%", afirmou o Bank of America. Economistas no Itaú Unibanco e Bradesco também esperam que a Selic permaneça em 13,75% na próxima reunião do Copom.

Na visão do sócio e estrategista da Meta Asset Management, Alexandre Póvoa, a ata não trouxe nenhuma grande novidade. "A janela ainda está aberta para (uma alta de) 0,25 ponto percentual na reunião de setembro, mas o mais importante é que estamos virtualmente no fim do ciclo", avaliou.

Ele também chamou a atenção para a deflação de 0,68% do IPCA em julho, citando que o dado foi "animador depois de muito tempo", nem tanto pela deflação, que era esperada por conta da queda do preço dos combustíveis e energia, mas pela média dos núcleos que caiu, assim como o índice de difusão.

"Dados ainda altos, mas na direção de queda", afirmou, acrescentando que esses números podem continuar dando fôlego às ações sensíveis a juros.

A bolsa paulista fechou com agentes financeiros na expectativa do índice de preços ao consumidor norte-americano (CPI, na sigla em inglês) de julho, previsto para quarta-feira, principalmente após dados fortes do mercado de trabalho conhecidos no final da semana passada.

Em um contexto no qual investidores buscam sinais sobre o ritmo do aperto monetário pelo Federal Reserve, Dennis Esteves, especialista em renda variável da Blue3, afirmou que o dado pode fornecer alguma clareza sobre o caminho dos aumentos das taxas de juros pelo BC norte-americano.

"A dúvida que paira sobre os mercados é se o pico da inflação já está no retrovisor", disse, acrescentando que o Fed tem deixado claro que só deve suavizar os aumentos de juros quando os índices de preços derem sinais contundentes de recuo ou desaceleração.

DESTAQUES

- ITAÚ UNIBANCO PN subiu 2,61%, a 25,90 reais, após reportar lucro de 7,679 bilhões de reais no segundo trimestre e elevar projeções em 2022. O presidente executivo do maior conglomerado financeiro da América Latina também disse que está desacelerando a produção de crédito para controlar o avanço da inadimplência.

- BTG PACTUAL UNIT caiu 2,09%, a 24,34 reais, mesmo após divulgar lucro recorde para um único trimestre, de 2,07 bilhões de reais. O presidente do banco disse esperar que as operações nos mercados de dívida e de aquisições e fusões levem a um resultado robusto da unidade de banco de investimento no segundo semestre.

- PETROBRAS PN avançou 1,64%, a 37,23 reais, em meio a operações por investidores que visam o pagamento de dividendo expressivo anunciado pela estatal no fim de julho, de 87,8 bilhões de reais. Terão direito a tal remuneração aqueles com ações da estatal no dia 11.

- VALE ON valorizou-se 2,07%, a 70,00 reais. Os contratos futuros de minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura caíram nesta terça-feira, à medida que os traders avaliam novos surtos de Covid-19 na China e a fraca demanda por aço, principalmente do setor imobiliário do país.

- CVC BRASIL ON desabou 10,96%, a 7,07 reais, antes da divulgação do balanço do segundo trimestre, previsto para essa terça-feira. Analistas do JPMorgan cortaram a recomendação das ações para "neutra" e reduziram o preço-alvo dos papéis para 10 reais cada no final de 2023, de 21 reais no final deste ano.

- NATURA&CO ON despencou 9,62%, a 16,44 reais, devolvendo boa parte da alta acumulada nos quatro pregões anteriores, em dia negativo para várias ações de consumo. Também está no radar o balanço da fabricante de cosméticos, previsto para quinta-feira, com alguns analistas enxergando um ambiente desafiador no curto prazo.

- XP INC. caiu 4,06%, a 23,66 dólares, em Nova York, antes da divulgação do resultado do segundo trimestre. Após o fechamento, a plataforma de investimentos reportou um lucro praticamente estável no segundo trimestre na comparação com um ano antes, de 1,046 bilhão de reais, com receita líquida crescendo 14%, mas margem Ebitda caindo a 35,4%.