Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.171,88
    +153,60 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Ibovespa fecha em alta com novo recorde intradia e deve encerrar 2020 em terreno positivo

Paula Arend Laier
·3 minuto de leitura
Sede da B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta nesta terça-feira, renovando marca histórica intradia perto de 120 mil pontos e pavimentando um encerramento positivo para um ano desafiador, com CSN e Usiminas entre os maiores ganhos no penúltimo pregão de 2020.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa fechou com acréscimo 0,24%, a 119.409,15 pontos, tendo alcançado 119.860,91 pontos no melhor momento. O recorde de fechamento é de 119.527,63 pontos.

Com tal desempenho, o Ibovespa agora acumula alta de 3,25% em 2020 e uma valorização de mais de 90% em relação às mínimas do ano, em março, mês que marca o agravamento da pandemia de Covid-19 no país e a adoção de medidas de 'lockdown'.

O volume financeiro nesta sessão somou 20,17 bilhões de reais.

Na visão do analista da Clear Corretora, Rafael Ribeiro, o pregão brasileiro encontrou suporte na expectativa de um reforço - do lado da política de renda - no pacote de estímulos dos Estados Unidos, sancionado no último domingo.

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou na segunda-feira a proposta do presidente norte-americano, Donald Trump, para o pagamento de 2 mil dólares de auxílio para pessoas afetadas pela pandemia de Covid-19, que ainda será analisada no Senado.

Em Wall Street, a incerteza sobre esses estímulos adicionais, porém, abriu espaço para alguma realização de lucros após novas máximas históricas registradas no começo do pregão. O S&P 500 cedeu 0,22%.

A B3 também divulgou nesta terça-feira a terceira e última prévia do Ibovespa que irá vigorar de 4 de janeiro a 31 de abril, confirmando a entrada de Copel, Eneva, JHSF e Unidas.

DESTAQUES

- CSN ON avançou 4,86%, ampliando a alta em 2020 que tem sido apoiada em expectativas para o IPO de sua unidade de mineração, além de ambiente favorável para reajuste de preços de aço no Brasil e valorização do minério de ferro na China. Na sequência, USIMINAS PNA subiu 4,29% e GERDAU PN valorizou-se 1,11%. VALE ON fechou praticamente estável (-0,01%).

- PETRORIO ON subiu 1,9%, ampliando a alta no mês, acelerada na última semana, tendo no radar uma oferta de ações pela companhia, entre outros eventos e ainda a alta dos preços do petróleo no exterior. PETROBRAS PN também fechou no azul, mas com menor fôlego: +0,32%.

- CCR ON valorizou-se 2,30%, após anunciar aditivo ao contrato de concessão do aeroporto de Confins (MG), por meio do qual poderá receber até 352 milhões de reais. No setor, ECORODOVIAS ON subiu 2,05%.

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou em baixa de 0,22%, o que ajudou a afastar o Ibovespa das máximas da sessão, com BRADESCO PN perdendo 0,39% e ajudando nesse sentido.

- MULTIPLAN ON caiu 2,15%, na esteira de números mais fracos sobre as vendas de Natal. De acordo com índice da Cielo, houve queda de 1,8% nas vendas no período de 19 a 25 de dezembro ante o mesmo intervalo de 2019, apesar da alta de 15,5% no comércio eletrônico. IGUATEMI ON cedeu 1,92% e BRMALLS ON perdeu 1,85%.

- SABESP ON fechou em baixa de 2,12%, tendo de pano de fundo edital para a concessão de serviços da Cedae, com leilão previsto para 30 de abril na B3.