Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,41
    +0,19 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.817,40
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    16.971,41
    -161,16 (-0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.036,50
    -5,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4642
    +0,0677 (+1,25%)
     

Ibovespa fecha em alta com arrancada no final de olho em eleição

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa cessou a sequência negativa da semana e avançou nesta quinta-feira, no penúltimo pregão antes do segundo turno da eleição presidencial no país, com um noticiário corporativo rico também ocupando a atenção.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa fechou em alta 1,93%, a 114.940,77 pontos, de acordo com dados preliminares, após perder quase 6% nas três sessões anteriores.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PT) travam uma disputa acirrada pelo Palácio do Planalto, mas com o petista - que venceu no primeiro turno - ainda liderando as principais pesquisas de intenção de votos.

Na parte final do pregão, o Ibovespa acelerou a alta para mais de 3%, tocando a máxima da sessão, em 116.235,76 pontos, em reação à notícia de O Globo de que Lula divulgará carta prometendo combinar responsabilidade fiscal e social.

Ainda no call de fechamento, Lula divulgou a carta afirmando que a política fiscal responsável deve seguir regras claras e realistas.

Em meio a uma forte volatilidade por causa do cenário político, o Ibovespa agora contabiliza uma queda de mais de 4% na semana, com o desempenho de outubro positivo em 4,5% - alta na primeira e terceira semanas do mês e queda na segunda.

O volume financeiro nesta quinta-feira somava 30 bilhões de reais.

(Por Paula Arend Laier)