Mercado abrirá em 1 h 23 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,72
    +0,71 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.796,10
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    16.827,03
    +7,40 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,18
    -6,86 (-1,71%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.487,19
    -2,00 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.537,50
    +28,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Ibovespa fecha com variação discreta após euforia com eleição; BB e Petrobras recuam

B3 em São Paulo

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou com uma variação discreta nesta terça-feira, em meio a movimentos de realização de lucros após superar 118 mil pontos no melhor momento do pregão, com estatais como Petrobras e Banco do Brasil entre as maiores pressões de baixa.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,08%, a 116.230,12 pontos, recuperando o sinal positivo nos ajustes finais. O volume financeiro totalizou 34,8 bilhões de reais.

O fechamento ficou distante da máxima do dia, quando bateu 118.280,11 pontos, embalado pela cena externa positiva e rescaldo da euforia da véspera com os resultados das urnas no domingo. No pior momento, marcou 115.837,2 pontos.

"Mercado de ressaca hoje", avaliou o analista Régis Chinchila, lembrando a forte alta da véspera, quando Ibovespa saltou 5,5%, maior ganho percentual desde abril de 2020, na esteira do resultado do primeiro turno das eleições no país.

Investidores se animaram com a perspectiva de um Congresso Nacional mais ao centro, com um viés potencialmente liberal, além da disputa mais apertada do que o previsto entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

O entendimento é de que uma composição mais centrista no Senado e na Câmara dos Deputados diminui a chance de grandes desvios na condução de políticas, independentemente de quem sair vencedor no segundo turno.

Ainda assim, agentes financeiros avaliam que período até o segundo turno tende ser volátil, conforme Lula e Bolsonaro se movimentam para angariar votos de candidatos derrotados na votação de domingo.

"As próximas semanas devem ser marcadas pela alta volatilidade em decorrência de uma disputa acirrada entre os candidatos à Presidência", ponderou Chinchila.

Mais uma vez o exterior contribuiu positivamente, em meio a expectativas de moderação em altas mais agressivas de juros pelos bancos centrais. Em Wall Street, o S&P 500 saltou 3,1%. A sessão na Europa também foi de ganhos.

DESTAQUES

- 3R PETROLEUM ON disparou 9,33%, a 41,60 reais, ajudada por relatório de analistas do Bank of America iniciando a cobertura dos papéis com recomendação de "compra". No setor, PRIO ON subiu 4,8%, a 30,33 reais, em mais uma sessão de alta do petróleo no exterior.

- LOCAWEB ON valorizou-se 5,6%, a 10,38 reais. Analistas do BTG Pactual afirmaram que agora pode ser o momento de comprar ações da empresa, uma vez que veem a expansão de margens operacionais acelerando nos próximos trimestres. "A empresa está entregando crescimento e as ações responderão bem quando as margens começarem a se expandir."

- B3 ON fechou em alta de 4,32%, a 14,48 reais, tendo de pano de fundo relatório de analistas do Itaú BBA elevando a recomendação dos papéis para "outperform", bem como o preço-alvo, de 13 reais para 18 reais. Na máxima, a cotação na bolsa chegou a 15,16 reais.

- PETROBRAS PN caiu 2,52%, a 31,37 reais, perdendo o fôlego da abertura, quando chegou a 32,98 reais (+2,49%), em meio a movimentos de realização de lucros após forte valorização desde a véspera, quando fechou com um salto de quase 8%. PETROBRAS ON recuou 1,97%, a 35,3 reais.

- BANCO DO BRASIL ON cedeu 5,38%, a 39,23 reais, em dia de correção, após fechar com uma alta de 7,6% na segunda-feira. Mais cedo, a ação chegou a subir 2,39% na máxima, a 42,45 reais. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN subiu 0,17%, a 29,80 reais, tendo renovado cotação recorde intradia a 30,21 reais. BRADESCO PN perdeu 0,07%.

- VALE ON avançou 2,42%, a 75,79 reais, corroborando o fechamento positivo do Ibovespa. Dados na véspera mostraram que a exportação de minério de ferro do Brasil aumentou 8,7% em setembro, a 36,295 milhões de toneladas, o maior volume mensal em dois anos. CSN MINERAÇÃO ON subiu 5,43%.

- IRB BRASIL ON recuou 6,25%, a 1,05 real, após duas altas seguidas, período em que acumulou elevação de 10,89%, depois de ter sido negociada na mínima histórica intradia de 1 real na última quinta-feira.

- CEMIG PN perdeu 5,04%, a 11,31 reais, acompanhando o ajuste em ações de estatais após uma segunda-feira eufórica, quando fechou em alta de 10,69% na esteira do resultado da eleição para o governo de Minas Gerais. COPASA ON, que não está no Ibovespa, recuou 4,34%.

- SABESP ON caiu 0,17%, a 57,90 reais, um dia depois de disparar 16,94%, após Tarcísio de Freitas (Republicanos) liderar o primeiro turno na disputa pelo governo paulista contra Fernando Haddad (PT). Analistas veem chance maior de privatização da empresa de saneamento básico do Estado de São Paulo sob um governo de Tarcísio.