Mercado abrirá em 1 h 9 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,99
    -1,40 (-3,74%)
     
  • OURO

    1.877,40
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    13.090,52
    -72,87 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,58
    -14,11 (-5,18%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.591,29
    +8,49 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.229,50
    +96,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7200
    -0,0144 (-0,21%)
     

Ibovespa esvazia perdas no fim da sessão, mas tem 4ª semana seguida no vermelho

Por Peter Frontini
·2 minutos de leitura
.
.

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa esvaziou perdas à tarde e encerrou esta sexta-feira praticamente no zero a zero, seguindo a melhora em Wall Street, mas teve a quarta semana seguida no vermelho.

O Ibovespa teve variação negativa de 0,01%, a 96.999 pontos. O volume financeiro somou 18,88 bilhões de reais, abaixo da média diária no mês, de 28 bilhões.

O índice teve a maior sequência de semanas em baixa desde março, quando acumulou cinco em queda. Em setembro, o Ibovespa acumula recuo de 2,38%, no caminho de registrar pior resultado para o mês desde 2015.

No pior momento desta sessão, o índice chegou a cair 1,4%, mas zerou perdas apoiado pelas altas de Vale e Suzano.

Com poucas novidades domésticas, o Ibovespa refletia uma cautela global com o aumento nos casos de coronavírus na Europa, intensificando as preocupações sobre o ritmo da recuperação econômica. Mas abandonou o viés pessimista, conforme os índices de Wall Street eram impulsionados por ações de tecnologia.

Por aqui, o Morgan Stanley melhorou a previsão para o PIB brasileiro, prevendo contração de 4,5% em 2020, ante queda de 5,1% da estimativa anterior. Para 2021, o prognóstico é de expansão de 3,6%, frente a 3,2% antes.

"Acreditamos que o fator mais relevante para se observar a partir de agora é a dinâmica do mercado de trabalho e a migração de renda emergencial para renda via emprego (o que pode golpear a recuperação)", afirmaram analistas do banco.

DESTAQUES

- SUZANO ON saltou 4,65%, maior alta do índice. O Credit Suisse aumentou o preço-alvo da ação de 54,50 para 65 reais. KLABIN UNT subiu 0,49%.

- IRB BRASIL RE avançou 1,27%, acumulando alta de cerca de 27,5% na semana, após a resseguradora divulgar prejuízo de 62,4 milhões de reais em julho, que excluindo o impacto de negócios descontinuados, seria de lucro 36 milhões.

- PETROBRAS PN recuou 1,32% e PETROBRAS ON caiu 1,05%, diante de nova queda no preço dos contratos futuros do petróleo em meio a preocupações com a demanda pela commodity sendo impactada por novas medidas de isolamento causadas por nova alta nos casos de coronavírus.

- VALE ON avançou 1%. Porém, na semana, os papéis da companhia ficaram praticamente estáveis.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN registraram queda de 0,52% e 0,1%, respectivamente, em sessão de ajustes após forte alta da véspera.

- LOCALIZA ON ganhou 1,74%, acumulando alta semanal de quase 12%, impulsionada pela fusão com a UNIDAS , que avançou 1,67% na sessão e 15,3% na semana.

- HIDROVIAS DO BRASIL perdeu 1,85% em sua estreia, após ter precificado IPO na quarta-feira a 7,56 reais.