Mercado abrirá em 9 h 9 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,53
    +0,14 (+0,37%)
     
  • OURO

    1.878,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.233,40
    +16,11 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,86
    -10,83 (-3,97%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.432,98
    -275,82 (-1,12%)
     
  • NIKKEI

    23.261,98
    -156,53 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    11.235,50
    +102,75 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7393
    +0,0049 (+0,07%)
     

Ibovespa ensaia melhora, mas exterior ainda frágil atenua alta

Por Paula Arend Laier
·3 minutos de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa ensaiava melhora nesta terça-feira, favorecido pela estabilização dos mercados no exterior, onde a pauta destaca fala do chair do Federal Reserve no Congresso norte-americano, enquanto a ata do Copom também ocupava as atenções na cena brasileira.

Às 11:09, o Ibovespa subia 0,08 %, a 97.068,72 pontos. Na máxima até o momento, chegou a 97.684,16 pontos. A tentativa recuperação vem após o Ibovespa fechar na véspera na mínima desde julho.

O volume financeiro do pregão somava 4,5 bilhões de reais.

De acordo com o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, depois de uma noite de bastante volatilidade, os ativos de risco estão abrindo a manhã em tom um pouco menos negativo, mas ainda com claros sinais de fragilidade.

"No Brasil, seguimos a mercê da situação global, com as nossas peculiaridades apenas deteriorando mais o nosso cenário. O ambiente, por ora, é de incerteza e poucos (ou nenhum) avanços na importante agenda de reformas para o país", destacou.

No cenário externo, Wall Street abriu em alta apoiada na recuperação de ações de tecnologia, embora incertezas associadas a novos estímulos fiscais continuem pesando nos negócios. O S&P 500 avançava 0,26%.

Ainda nos Estados Unidos, Jerome Powell fará a primeira de três aparições no Capitólio esta semana para falar sobre as medidas de emergência que o Fed adotou para conter o impacto à economia da pandemia de coronavírus.

Na Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente dos EUA, Donald Trump, segundo trecho do discurso, dirá que a ONU "precisa responsabilizar a China por suas ações" relacionadas à pandemia do coronavírus.

Também o presidente Jair Bolsonaro teve discurso virtual na assembleia nesta terça-feira.

Da agenda brasileira, o Banco Central indicou na ata do Copom que as condições para sua sinalização de que a taxa Selic não deve subir seguem de pé e reforçou considerar adequado manter a chamada prescrição futura como instrumento de política monetária adicional.

Em meio a receios no mercado com a cena fiscal local, o secretário do Tesouro, Bruno Funchal, afirmou à Reuters que o país não conta com espaço para errar na gestão das contas públicas no pós-pandemia, ressaltando que a elevação recente dos prêmios de risco na curva de juros é um alerta nesse sentido.

DESTAQUES

- CSN ON avançava 3,08%, encontrando suporte na trégua no exterior para recuperar as perdas na véspera, quando o mau humor nos mercados globais minguou a avaliação positiva do anúncio sobre IPO de sua unidade de mineração. No setor de mineração e siderurgia do Ibovespa, porém, VALE ON cedia 0,45%, pesando no Ibovespa, enquanto GERDAU PN caía 0,15% e USIMINAS PNA recuava 0,83%.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 0,72% e 0,52%, respectivamente, ajudadas pela alta dos preços do petróleo. Além disso, presidente do STF, Luiz Fux, decidiu retirar de análise em julgamento virtual um caso sobre a possibilidade de privatização de refinarias pela Petrobras. Na véspera, a companhia também disse que promoverá uma nova rodada de ofertas vinculantes por sua refinaria no Paraná, que recebeu duas propostas com valores próximos.

- ITAÚ UNIBANCO PN valorizava-se 1%, com ações de bancos do Ibovespa como um todo no azul, respondendo por relevante suporte para o índice. BRADESCO PN avançava 0,96%, enquanto BANCO DO BRASIL ON subia 1,33%, BTG PACTUAL UNIT ganhava 1,82% e SANTANDER BRASIL UNIT avançava 1,25%.

- CIELO ON mostrava acréscimo de 1,45%, também em destaque na ponta positiva, recuperando-se de perdas relevantes na véspera. No segmento, STONECO e PAGSEGURO, negociadas em Nova York, tinham alta de 1,67% e variação positiva de 0,59%, respectivamente.

- B2W ON perdia 3,9%, em sessão mais fraca para ações de varejistas, com MAGAZINE LUIZA ON recuando 0,82% e VIA VAREJO ON caía 0,11%.

- SUZANO ON tinha queda de 2,08%, tendo de pano de fundo expectativa para a oferta das ações da fabricante de papel e celulose em poder da BNDESPar, que deve ser precificada em 1 de outubro. No setor, KLABIN UNIT recuava 0,89%.