Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,55
    -0,42 (-0,58%)
     
  • OURO

    1.752,80
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    47.168,36
    -557,39 (-1,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.179,93
    -45,60 (-3,72%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.640,43
    -280,33 (-1,12%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.299,25
    -26,75 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1919
    -0,0075 (-0,12%)
     

Ibovespa engata 3ª queda com ruídos locais e cautela externa

·2 minuto de leitura
B3, em São Paulo

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O tom negativo prevalecia na bolsa paulista nesta quarta-feira, marcada pelo vencimento de opções sobre o Ibovespa e do índice futuro, com as ações da Vale recuando mais de 2% na esteira do declínio dos preços do minério de ferro na China.

Às 11:39, o Ibovespa caía 1,13%, a 116.574,22 pontos. O volume financeiro somava 9 bilhões de reais.

Com tal desempenho, o Ibovespa já acumula nesta semana perda de 3,8%.

Na visão do economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa, o ambiente político-institucional conturbado também tende a continuar pesando sobre os ativos domésticos, enquanto a cautela predomina nos mercados no exterior.

Ele cita que essa cautela é refletida em movimentos modestos na maioria dos ativos, com preocupações do efeito da disseminação da variante Delta da Covid na economia global, em meio à perspectiva de redução de estímulos e inflação elevada.

Em Wall Street, o S&P 500 rondava a estabilidade, com investidores também aguardando a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve.

DESTAQUES

- VALE ON recuava 2,7%, com o setor de mineração e siderurgia do Ibovespa como um todo no vermelho, após os contratos futuros do minério de ferro negociados na China recuarem mais de 4%, pressionados por um aumento nos estoques em portos e por restrições à produção de aço.

- JHSF ON subia 3,2%, destoando do viés de baixa do mercado, em meio a novo programa de recompra envolvendo até 28 milhões de ações, o que equivalente a 9,15% dos papéis da companhia em circulação no mercado, aprovado pelo conselho de administração.

- COSAN ON perdia 4,1% , seguida pela ULTRAPAR ON recuava 3,5%, em sessão negativa para empresas do setor de combustíveis, com BR DISTRIBUIDORA ON cedendo 0,5%, tendo ainda de pano de fundo venda da participação acionária na Brasil Carbonos para a Unimetal.

- PETROBRAS PN mostrava declínio de 1%, na contramão dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent tinha acréscimo de 0,2%.

- MAGAZINE LUIZA ON caía 2,5%, também pesando, com as rivais AMERICANAS ON em baixa de 1,8% e VIA ON em queda de 0,2%. Executivos da Via fecharam um acordo de 546 mil reais com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em processo sobre divulgação de informação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos