Mercado fechará em 6 h 40 min
  • BOVESPA

    110.188,57
    +787,16 (+0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,27
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.783,00
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    16.805,63
    -180,54 (-1,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,29
    -7,51 (-1,87%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.517,65
    -3,74 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.487,75
    -78,25 (-0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5099
    +0,0312 (+0,57%)
     

Ibovespa encosta em 120 mil pontos com disparada de Vale; Petrobras recua

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa avançava nesta sexta-feira, encostando nos 120 mil pontos no melhor momento, embalado por expectativas de potencial alívio nas restrições ao Covid na China e dados de emprego nos Estados Unidos, enquanto agentes financeiros analisam uma bateria de resultados corporativos, entre eles o de Petrobras.

Às 11:04, o Ibovespa subia 1,51%, a 118.666,61 pontos, acumulando até o momento uma alta de 3,6% na semana. Na máxima do dia, até o momento, alcançou 119.821,35 pontos, O volume financeiro somava 8,5 bilhões de reais.

Rumores da saída da China da estratégia Covid-zero a partir de 2023 têm ganhando força, apesar do governo os refutar. Nesta sexta-feira, a Bloomberg News publicou que Pequim prepara um plano para encerrar um sistema que proíbe a entrada de voos com passageiros infectados com o vírus.

No mercado, um dos entendimentos é de que uma suavização nessas medidas poderia representar uma mudança substancial de dinâmica para algumas classes de ativos, uma vez que eliminaria um dos fatores negativos para o cenário da atividade global.

Nos EUA, dados mostraram uma criação de vagas em outubro acima do esperado, mas a taxa de desemprego aumentou, sugerindo algum abrandamento nas condições do mercado de trabalho, o que permitiria ao Federal Reserve reduzir a intensidade dos aumentos na taxa de juros a partir de dezembro.

Em Wall Street, o S&P 500 subia mais de 1%.

Investidores da bolsa paulista também continuam monitorando as movimentações relacionadas à transição de governo no Brasil, com a perspectiva de que a mesma não terá sobressaltos endossando o viés comprador no pregão. A principal questão no mercado, contudo, permanece sobre quem será o ministro da Fazenda.

"As negociações pelo aumento dos gastos 'extra-teto' no orçamento do ano que vem preocupam, mesmo que contrabalançados pelo fluxo estrangeiro, e o investidor segue ansioso sobre qual será composição da esplanada à partir do ano que vem", afirmou a Guide Investimentos em nota a clientes.

Nos dois primeiros pregões da semana, as compras de estrangeiros no mercado secundário de ações brasileiro superaram as vendas em 2,4 bilhões de reais.

DESTAQUES

- VALE ON disparava 6,92%, a 71,8 reais, com nova alta dos contratos futuros de minério de ferro nesta sexta-feira, solidificando seus ganhos semanais. No setor de mineração e siderurgia, CSN ON saltava 6,34%, a 13,59 reais.

- PETROBRAS PN caía 0,8%, a 29,71 reais, revertendo a alta da abertura, mesmo com o avanço petróleo no exterior e após reportar alta de 48% no lucro líquido ante o mesmo período do ano passado. Investidores seguem no aguardo dos potenciais reflexos na companhia em razão da troca de governo em 2023. O Goldman Sachs cortou sua recomendação das ações para "neutra", enxergando aumento da incerteza em torno das políticas a serem adotadas nos próximos anos.

- BRASKEM PNA tinha elevação de 2,36%, a 33 reais. Na véspera, a companhia disse que seu controlador Novonor comunicou a empresa sobre o início dos atos preparatórios para a alienação de até a totalidade da participação acionária do conglomerado na petroquímica. Mas afirmou que não há, no momento, nenhuma concessão de exclusividade para qualquer interessado ou decisão sobre a estrutura a ser adotada no processo de alienação.

- ITAÚ UNIBANCO PN valorizava-se 0,36%, a 30,35 reais, e BRADESCO PN avançava 0,46%, a 19,7 reais, reforçando o desempenho do Ibovespa.

- ALPARGATAS PN desabava 14,7%, a 19,04 reais, após a dona da marca Havaianas reportar queda no lucro do terceiro trimestre, mais uma vez afetado aquisição de participação na norte-americana Rothy's. O resultado ainda mostrou recuo na margem bruta e declínio no volume de vendas no Brasil e a empresa afirmou estar mais cautelosa com o último trimestre do ano em razão do cenário macro no país.

- GPA ON perdia 7,77%, a 20,77 reais, na esteira do balanço do terceiro trimestre, quando o dono da rede Pão de Açúcar mais do que triplicou o prejuízo líquido enquanto executa a reestruturação de seus negócios.

- LOJAS RENNER ON cedia 4,86%, a 28,99 reais, mesmo após alta de 50% no lucro líquido do terceiro trimestre, uma vez que o crescimento de vendas em mesmas lojas desacelerou para 7,9%, contra 39,5% no ano anterior, afetadas pelo clima mais frio.

- MERCADO LIVRE saltava 11,28%, a 969,15 dólares, em Nova York, após reportar alta no lucro no terceiro trimestre para 129 milhões de dólares, uma vez que o robusto crescimento do seu braço de serviços financeiros compensou uma desaceleração no negócio principal de comércio eletrônico. O Credit Suisse elevou o preço-alvo da ação a 1.450 dólares, de 1.400 dólares anteriormente.

- STONECO tinha queda de 4,19%, a 11,53 dólares, em Nova York, após anunciar que Pedro Zinner vai assumir a presidência-executiva da companhia de meios de pagamento. O atual presidente da StoneCo, Thiago Piau, que lidera a empresa desde 2017, vai assumir uma cadeira no conselho de administração. Zinner já era membro do conselho da StoneCo.