Mercado fechado

Ibovespa encerra em queda de 1,05%, a 112.570,30 pontos

Giovanna Almeida
Ibovespa encerra em queda de 1,05%, a 112.570,30 pontos

O Ibovespa encerrou nesta segunda-feira (10) em queda de 1,05%, a 112.570,30 pontos.

Os papéis da IRB Brasil (IRBR3) lideraram as baixas do dia após uma carta da gestora de recursos Squadra sobre as práticas contábeis da empresa. Além disso, as seguintes notícias estão no radar dos investidores e influenciaram na pontuação do Ibovespa:

  • CVC (CVCB3) opera em baixa com temor sobre possível derrota no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais;
  • BB Seguridade (BBSE3) tem lucro de R$ 4,3 bi em 2019; alta de 21,3% ante 2018;
  • Coronavírus: número de mortes na China sobe para 910.

IRB Brasil lidera baixas

As ações da IRB Brasil encerraram em queda de 16,49% nesta segunda, a R$ 33,01. A variação negativa ocorreu após a gestora de recursos Squadra Investimentos publicar, no último domingo (9), uma nova carta na qual reafirma sua opinião sobre as práticas contábeis da seguradora.

Saiba mais: IRB Brasil opera em queda de 9% após nova carta da Squadra

O novo documento, de 50 páginas, traz uma análise das informações que a própria resseguradora tem reportado ao mercado em relação ao investimento short (vendida).

"Em nossa opinião, existem indícios que apontam para lucro normalizados (recorrentes) significativamente inferiores aos lucros contábeis reportados nas demonstrações financeiras da Companhia", informou a Carta da Squadra.

Possível derrota da CVC no Carf

As ações da CVC também estão entre as maiores quedas do dia. Os papéis fecharam em baixa de 6,03%, a R$ 32,89.

Saiba mais: CVC opera como segunda maior baixa do Ibovespa nesta segunda

A variação negativa dos papéis aconteceu em linha com uma notícia de que uma possível derrota da empresa no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) poderia gerar prejuízo de R$ 440 milhões para a empresa. O tema discutido pelo tribunal administrativo é o modelo de negócio da companhia de turismo.

Na última semana, a companhia foi julgada e acabou tendo prejuízo de R$ 127,6 milhões por conta do Carf entender que a empresa é uma agência de turismo e, dessa forma, possui incidência do PIS/Cofins em sua receita que foi repassada como comissão para as redes de lojas e também aos fornecedores de serviços turísticos. Os advogados da companhia defendem, entretanto, que a CVC é apenas uma intermediadora entre o cliente e as aéreas e os hotéis.

Resultados da BB Seguridade

A BB Seguridade obteve lucro líquido recorrente de R$ 4,3 bilhões no ano passado. A alta em relação a 2018 foi de 21,3%.

Saiba mais: BB Seguridade tem lucro de R$ 4,3 bi em 2019; alta de 21,3% ante 2018

Se for levado em conta os "eventos extraordinários", que em 2019 foram a saída da BB da IRB Brasil-RE, o lucro líquido da empresa foi de R$ 6,7 bilhões. Isso porque a venda da participação na IRB rendeu à empresa R$ 2,3 bilhões.

No quarto trimestre do ano passado, o lucro ajustado da BB Seguridade foi de R$ 1,133 bilhão. O avanço em relação ao mesmo período de 2018 foi de 34,9%. Em comparação ao trimestre anterior, foi registrada uma alta de 4,8%.

Coronavírus

O número de mortes confirmadas na China pelo coronavírus subiu para 910. Ao todo, são 41.171 mil casos confirmados de infectados pelo novo vírus e ao menos 1.540 pessoas recuperada, segundo a Comissão Nacional de Saúde do país asiático.

Saiba mais: Coronavírus: número de mortes na China sobe para 910

Com os números divulgados nesta segunda, já são mais mortes registradas pelo coronavírus do que pela epidemia da Síndrome Respiratória Aguda (SARS) em termo globais, em 2003.

Além disso, a Capital Economics, consultoria de pesquisas econômicas sediada em Londres, informou que a epidemia poderá custar cerca de US$ 280 bilhões (R$ 1,20 bilhão na cotação atual) à economia global.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, na sexta-feira (7), o Ibovespa encerrou o pregão em queda de 1,23%, a 113.769,14.