Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.824,61
    +276,22 (+0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Ibovespa dispara com ações de commodities, enquanto mercado digere dados de inflação

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira subia forte nesta quarta-feira, à medida que dia positivo para commodities impulsionava os ativos locais, enquanto investidores avaliam os impactos de novos números de inflação nos Estados Unidos e no Brasil sobre a política monetária de ambos os países.

As ações de Vale, Petrobras e siderúrgicas, davam suporte ao índice. Empresas do setor de saúde eram destaque negativo na outra ponta.

Às 12:15 (de Brasília), o Ibovespa subia 2,02%, a 105.191,76 pontos, após quatro quedas seguidas. O volume financeiro era de 9,3 bilhões de reais.

Os preços ao consumidor desaceleraram em abril nos Estados Unidos para avanço de 0,3%, ante 1,2% em março, mas vieram levemente acima das estimativas de 0,2%, com base em pesquisa da Reuters com economistas. Analistas destacaram núcleos acima do esperado - cálculos que consideram apenas alguns preços do dado total na tentativa de formar uma tendência da inflação.

Os principais índices acionários em Nova York operavam sem direção comum.

No Brasil, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) também desacelerou no mês passado, para 1,06%, ante 1,62% em março, segundo o IBGE, ainda que acima da estimativa do mercado de 1%. A taxa foi a mais alta para abril em 26% anos.

O economista-chefe do Banco Fibra, Cristiano Oliveira, diz que apesar de acima do esperado, os núcleos do dado norte-americano desaceleraram, o que mantém o plano de voo atual do Federal Reserve para o ciclo de alta de juros. "Está sugerindo que a política monetária pode parar no neutro (em referência ao juro real) ou não avançar muito no terreno contracionista."

Sobre o Brasil, Oliveira afirma que a perspectiva de elevação da Selic em 0,5 ponto percentual em junho também está mantida, ainda que os juros futuros estejam em alta com o mercado colocando mais prêmio após revisões para cima da inflação de 2022 e o recente aumento do preço do diesel pela Petrobras.

DESTAQUES

- VALE ON disparava 5%, após o minério de ferro saltar 5,3% em Dalian com investidores mais otimistas pela recuperação da demanda nas usinas, mesmo com os lockdowns contra a Covid-19 na China limitando a atividade econômica. USIMINAS PNA avançava 4,3% e siderúrgicas no geral subiam forte após quedas acentuadas na véspera por conta de expectativa de definição de corte no Imposto de Importação de vergalhão.

- PETROBRAS PN ganhava 4% e ON exibia acréscimo de 5,4%, à medida que petróleo Brent subia mais de 4%, com temores na demanda relacionados à Rússia. Pela manhã, foi anunciada a saída de Bento Albuquerque do cargo de ministro de Minas e Energia. Adolfo Sachsida foi nomeado à posição. PETRORIO escalava 5,9% e 3R PETROLEUM ON crescia 5,4%.

- TELEFÔNICA BRASIL recuava 2,7%, após lucro líquido da dona da Vivo cair 20,4% no primeiro trimestre sobre um ano antes, pressionada por resultado financeiro.

- QUALICORP ON desabava 7,7%, depois do lucro líquido da empresa de planos de saúde diminuir 35,3% de janeiro a março, com recuo nas receitas e maiores provisões para inadimplência. A companhia disse que estuda uma emissão de dívida em 1,7 bilhão de reais. Ações do setor de saúde, no geral, tinham performance negativa, com SULAMERICA UNIT reduzindo 2,7% antes de divulgar balanço financeiro à noite e REDE D'OR ON cedendo 3,2%.

- CVC BRASIL ON perdia 2,3%, após prejuízo da empresa mais do que dobrar nos três meses encerrados em março, ainda que tenha registrado forte aumento de receitas no primeiro trimestre. Uma piora nas linhas financeiras pressionou o resultado do grupo de turismo.

- GOL PN tinha alta de 2,8%, após acionistas controladores da companhia aérea e da colombiana Avianca anunciarem a criação de um novo grupo de aviação, chamado Abra, que exercerá controle sobre ambas as empresas. A rival AZUL PN subia 2%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos