Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.175,06
    +1.507,41 (+1,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.850,34
    -381,86 (-0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,71
    +1,28 (+1,50%)
     
  • OURO

    1.843,00
    +30,60 (+1,69%)
     
  • BTC-USD

    41.858,25
    +140,74 (+0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    994,35
    -0,40 (-0,04%)
     
  • S&P500

    4.575,93
    -1,18 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    35.296,08
    -72,39 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.589,66
    +26,11 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.161,25
    -44,75 (-0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1987
    -0,1084 (-1,72%)
     

Ibovespa cai com exterior em sessão de vencimentos de opções no Brasil e EUA

·3 min de leitura

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa caía nesta sexta-feira, em linha com o desempenho negativo das bolsas europeias e dos Estados Unidos, com investidores cautelosos em relação à Ômicron e ainda digerindo decisões de bancos centrais.

A sessão deve ter volatilidade acima da média, já que é marcada por vencimento de opções sobre ações no Brasil, e de vencimentos de mais de um tipo de contrato nos EUA.

Às 11h32, o Ibovespa caía 1,03%, para 107.213 pontos. O índice caminhava para uma leve queda na semana, interrompendo dois períodos de alta. O volume financeiro da sessão era de 5,2 bilhões de reais.

Vale era a principal contribuição negativa para o índice, enquanto BRF estava na ponta oposta.

Papéis relacionados à tecnologia voltam a ceder no exterior, em movimento de troca de posições de ações de crescimento para de valor, após decisões de alguns dos principais bancos centrais do mundo.

Nos EUA, principais índices de ações mostravam queda consolidada, enquanto na Europa o índice pan-europeu STOXX 600 apagava ganhos acentuados da quinta-feira.

O mercado vem reagindo a decisões de política monetária em sentidos diferentes nos últimos dias. O Federal Reserve, dos EUA, indicou que encerrará em março suas compras de títulos, abrindo caminho para três altas de juros em 2022, enquanto o Banco Central Europeu prometeu apoio contínuo à economia, retirando gradativamente os estímulos e o Banco Central da Inglaterra elevou de forma surpreendente a taxa de juros.

Além disso, temores com os potenciais efeitos da nova variante Ômicron seguem influenciando negativamente o mercado.

No Brasil, leilões de áreas no pré-sal nesta manhã e de transmissão de energia, às 15h, podem movimentar ações de empresas desses setores.

DESTAQUES

- BRF subia 5,5%, depois de disparar 11%, após propor a seus acionistas um aumento de capital por meio da emissão de 325 milhões de novas ações ordinárias, potencialmente levantando 6,63 bilhões de reais. O negócio ainda depende de aprovação de uma assembleia geral de acionistas, marcada para 17 de janeiro, e de condições favoráveis de mercado. Analistas de bancos destacaram que os regimentos internos da BRF permitem que um acionista ultrapasse 33,3% de participação sem acionar "poison pill", o que permitiria à Marfrig, caso queira, tomar o controle da companhia através do follow-on sem uma oferta pública de aquisição de ações a todos os acionistas.

- MARFRIG ON, por sua vez, subia 4,1%. Empresa anunciou dividendos intercalares de 830 milhões de reais e recompra de 100 milhões de dólares em notas sênior com vencimento em 2026.

- BANCO INTER UNIT cedia 7% e PN caía 6,9%. Entre outros destaques negativos, YDUQS ON recuava 5,8% e CVC BRASIL ON tinha queda de 3,9%.

- PETROBRAS PN caía 1,4% e ON recuava 1,7%, diante da queda do petróleo com preocupações sobre a Ômicron. A empresa também participava nesta manhã de leilão de excedente da área conhecida como cessão onerosa.

- VALE ON caía 0,6%, mesmo após nova alta do preço do minério de ferro na Ásia diante de expectativa de uma recuperação da demanda por aço na China.

- AMERICANAS ON cedia 3,8%, após alta forte na véspera. MAGAZINE LUIZA ON caía 4,8% e VIA ON cedia 3,1%.

- GPA caía 3,8% e Assaí recuava 1,8%. Empresas informaram que os membros independentes do conselho de administração de ambas aprovaram o contrato de cessão de direitos de exploração de pontos comerciais entre as companhias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos