Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.438,47
    +34,35 (+0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Ibovespa cai 2,83% puxada por forte queda da Petrobras

Puxada pela Petrobras, o Ibovespa acumulou declínio de 5,36% na semana, pior performance semanal desde a semana encerrada em 22 outubro de 2021. (Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Puxada pela Petrobras, o Ibovespa acumulou declínio de 5,36% na semana, pior performance semanal desde a semana encerrada em 22 outubro de 2021. (Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)

O Ibovespa fechou em forte queda nesta sexta-feira, voltando aos níveis de novembro de 2020, com os temores de recessão global derrubando commodities, com Petrobras desabando, também refletindo risco político após anunciar reajuste nos preços de combustíveis.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 2,9%, a 99.824,94 pontos, menor patamar desde 4 de novembro de 2020. No pior momento, chegou a 98.401,73 pontos (-4,28%).

Com tal desempenho, o Ibovespa acumulou declínio de 5,36% na semana, pior performance semanal desde a semana encerrada em 22 outubro de 2021, quando contabilizou uma perda de 7,29%.

O volume financeiro nesta sexta-feira somou 42,66 bilhões de reais, bem acima da média diária do ano, de 30,5 bilhões de reais, e do mês, de 29,27 bilhões de reais.

A bolsa paulista refletiu ajustes às perdas em Wall St na quinta-feira, quando não houve negociação na B3 em razão do feriado de Corpus Christi, bem como o tombo em commodities como minério de ferro e petróleo.

Na visão do diretor de investimentos da Reach Capital, Ricardo Campos, os mercados estão refletindo o medo de recessão, que pode ocorrer por causa do processo de aumento de juros, em um ambiente de inflação alta e sem sinais de trégua, diante de commodities elevadas e desemprego baixo.

Economistas do Bank of America Securities veem cerca de 40% de chance de uma recessão nos Estados Unidos no ano que vem, com a inflação permanecendo persistentemente alta.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN:

Desabou 6,09% e PETROBRAS ON cedeu 7,25%, resultando em perda de valor de mercado de 27,3 bilhões de reais, após a empresa anunciar reajuste nos preços dos combustíveis, que ampliou preocupações de maior pressão política sobre a estatal. O presidente da Câmara dos Deputados pediu a renúncia do presidente da empresa e falou em dobrar a taxação sobre lucros. O presidente Jair Bolsonaro defendeu a criação de uma CPI. No exterior, o petróleo Brent fechou em baixa de 6,8%.

- VALE ON:

Perdeu 5,22%, conforme os preços do minério de ferro caíram pela sexta sessão seguida na bolsa de Dalian, na queda semanal mais acentuada em quatro meses. No setor de mineração e siderurgia, GERDAU PN caiu 7,89%, USIMINAS PNA recuou 6% e CSN ON cedeu 5,13%.

- CVC BRASIL ON

Valorizou-se 11,19%, no segundo pregão de alta, após fechar na mínima desde março de 2020 na última terça-feira. GOL PN e AZUL PN tiveram altas de 0,49% e 0,14%, respectivamente, reagindo após terem chegado a cair cerca de 7% no pior momento da sessão.

- ITAÚ UNIBANCO PN:

Fechou em baixa de 1,26% e

BRADESCO PN:

Teve declínio de 1,55%.

da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos