Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,04
    -0,09 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.869,00
    +3,10 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    30.134,06
    -547,61 (-1,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    608,80
    -71,11 (-10,46%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,74 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.552,71
    -204,15 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    13.393,00
    -2,50 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5084
    0,0000 (0,00%)
     

Ibovespa cai 1,5% com maior pessimismo sobre América Latina

Por Peter Frontini
Bolsa de Valores de São Paulo

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista caiu nesta terça-feira, em meio a um cenário instável da América Latina que tem afastado investidores e com o mercado global também reagindo a novas declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O Ibovespa caiu 1,49%, a 106.751,11 pontos. O giro financeiro da sessão somou 18,9 bilhões de reais.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reafirmou que o país está perto de assinar a "fase um" de acordo comercial com a China, mas ressalvou que só aceitará um acordo se for bom para seu país e os trabalhadores dos EUA.

Para Raphael Guimarães, operador de renda variável da RJ Investimentos, a fala de Trump ficou em segundo plano para os investidores na bolsa paulista.

"O mau-humor no cenário doméstico se dá muito pela interferência da América Latina, o Brasil acaba sendo englobado como um país emergente e sofre com essa aversão à risco", afirmou, completando que no curto prazo a volatilidade deve continuar em evidência no mercado acionário.

Seguindo a temporada de balanços, Equatorial e MRV devem divulgar resultados nesta terça-feira, com Cogna reportando seu desempenho trimestral antes da abertura do pregão na quarta-feira.

DESTAQUES

- YDUQS recuou 3,62%, após a empresa divulgar que teve lucro líquido proforma de 158,8 milhões de reais de julho a setembro, queda de 18,3% ante mesma etapa de 2018.

- PETROBRAS PN caiu 0,86%. A cotação internacional do barril do petróleo teve leve queda.

- BR DISTRIBUIDORA ON perdeu 3,58%, perto das maiores quedas da sessão, após reportar lucro líquido de 1,3 bilhão de reais, aumento de 23,9% ano a ano.

- MARFRIG ON recuou 4%, mesmo após a empresa anunciar que mais duas de suas fábricas foram habilitadas para exportações para a China. A empresa também teve lucro líquido de 100,4 milhões de reais no terceiro trimestre, ante prejuízo de 126 milhões um ano antes.

- EDP BRASIL ganhou 1,28%, como uma das poucas altas do índice.

- EMBRAER ON caiu 3,43%. A empresa sinalizou que pode pagar dividendo menor, após ter divulgado prejuízo de 77,2 milhões de dólares no terceiro trimestre.

- ELETROBRAS PNB cedeu 3,48%, após reportar lucro líquido de 716 milhões de reais no terceiro trimestre, ante prejuízo de 2,26 bilhões de reais um ano antes.

- VALE ON fechou em queda de 0,48%.

- JBS ON caiu 1%. Fontes a par do assunto afirmaram à Reuters perto do final do pregão que o BNDES pediu propostas a bancos de investimento para iniciar a venda de sua participação na processadora de carne.