Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.914,38
    -1.661,09 (-1,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.759,32
    +85,02 (+0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,23
    -0,30 (-0,66%)
     
  • OURO

    1.780,10
    -8,00 (-0,45%)
     
  • BTC-USD

    19.409,01
    0,00 (0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,91
    +16,31 (+4,47%)
     
  • S&P500

    3.618,93
    -19,42 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    29.592,11
    -318,26 (-1,06%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.262,50
    +5,00 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3920
    +0,0174 (+0,27%)
     

Ibovespa avança com noticiário corporativo intenso apesar de exterior desfavorável

Por Paula Arend Laier
·4 minuto de leitura
.
.

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa buscava se sustentar no azul nesta segunda-feira, após titubear na abertura, em sessão marcada por uma bateria de notícias corporativas, enquanto os mercados no exterior começavam a semana refletindo preocupações com o aumento de casos de Covid-19 na Europa e Estados Unidos.

Às 11:21, o Ibovespa subia 0,49%, a 101.753,69 pontos. O volume financeiro era de 5 bilhões de reais.

Em Wall Street, os pregões trabalhavam no vermelho, com receios sobre o crescimento dos casos de coronavírus e o impasse em Washington sobre o próximo pacote de auxílio fiscal, com agentes financeiros também monitorando a aproximação da eleição presidencial em 3 de novembro. O norte-americano S&P 500 recuava 0,86%.

"Está se tornando difícil para os investidores manter a cabeça fria. O número de novos casos Covid-19 continua a aumentar rapidamente e um número crescente de países europeus está se movendo em direção a outro lockdown nacional", afirmou o analista Milan Cutkovic, da Axi.

DESTAQUES

- CIELO ON valorizava-se 5,33%, tendo no radar o resultado do terceiro trimestre previsto para terça-feira, após o fechamento do mercado. Analistas do Goldman Sachs, contudo, esperam um outro conjunto de resultados fracos no período, apesar da melhora trimestral a partir de uma base baixa. Eles estimam lucro líquido de 117 milhões de reais.

- ELETROBRAS ON e ELETROBRAS PNB avançavam 4,19% e 4,62%, respectivamente, encontrando suporte em nota do colunista Lauro Jardim, de O Globo, citando que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem dito a interlocutores que a privatização da elétrica de controle estatal já está acertada com o Senado. (https://glo.bo/3jrvlIN)

- IRB BRASIL RE ON subia 3,07%, após anunciar parceria com a B3 para o desenvolvimento de uma plataforma para conectar corretores, seguradoras e resseguradoras em uma única rede, e permitir que as operações, envolvendo contratos de seguros e resseguros, sejam realizadas via internet. B3 ON avançava 1,5%.

- AMBEV ON subia 2,45%, ajudada por relatório da XP Investimentos reiniciando a cobertura da ação com recomendação de compra e preço-alvo para o final de 2021 de 17,15 reais. "O pior já passou, o futuro segue desafiador, mas a empresa ainda é a melhor do setor", argumentou, citando que o mercado está excessivamente pessimista com o futuro da fabricante de bebidas.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON recuavam 0,92% e 0,73%, respectivamente, acompanhando o declínio dos preços do petróleo no exterior, enquanto agentes financeiros aguardam o resultado da petrolífera previsto para esta semana.

- VALE ON caía 0,61%, conforme os futuros do minério de ferro atingiram mínima de 4 semanas, com estoques portuários da China atingindo seu nível mais alto desde fevereiro. A Vale também divulga balanço nesta semana.

- SANTANDER BRASIL UNIT avançava 2,44%, melhor performance entre os bancos do Ibovespa, na véspera da divulgação do balanço do terceiro trimestre na terça-feira, antes da abertura do mercado. No setor, BRADESCO PN subia 1,37% e ITAÚ UNIBANCO PN tinha elevação de 1,34%. BANCO DO BRASIL ON valorizava-se 0,39%.

- BTG PACTUAL UNIT mostrava acréscimo de 0,21%, após anunciar a compra da corretora Necton Investimentos, que tem 16 bilhões de reais em ativos sob custódia, por 348 milhões de reais. O banco disse que a sua intenção é manter a marca e a operação independentes.

- AZUL PN e GOL PN recuavam 2,95% e 3,25%, respectivamente, em meio a temores de potenciais reflexos do aumento de casos de Covid-19. A Azul pediu registro para a oferta de 1,6 bilhão de reais em debêntures conversíveis em ações preferenciais para capital de giro, expansão da atividade de logística e outras oportunidades estratégicas.

- HYPERA ON valorizava-se 1,91%, após reportar na última sexta-feira aumento no lucro do terceiro trimestre para 345,6 milhões de reais, uma vez que o forte controle de despesas empregado pela fabricante de fármacos compensou os efeitos da vendas menores em algumas categorias devido aos efeitos da pandemia da Covid-19.

- KLABIN UNIT subia 0,59%, após o resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado alcançar 1,2 bilhão de reais, que excluídos efeitos não recorrentes presentes no resultado do terceiro trimestre de 2019, representa aumento de 59% ano a ano.

- TRACK & FIELD PN mostrava acréscimo de 0,43%, a 9,29 reais, em sua estreia na B3 após preficicar IPO na última quinta-feira, a 9,25 reais por ação, abaixo da faixa estimada pelos coordenadores da oferta, de 10,65 a 14,95 cada. A operação da rede de lojas de artigos esportivos e moda praia movimentou 523 milhões de reais.