Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.467,21
    -1.433,06 (-2,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,29 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,42 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Ibovespa avança apoiado em bancos antes de balanços de Itaú e Bradesco

·2 minuto de leitura
Sede B3

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado acionário brasileiro tinha tendência majoritária positiva nesta segunda-feira, com o setor bancário catalisando perspectivas mais otimistas para a sequência da temporada de balanços trimestrais de empresas brasileiras nesta semana.

Às 12:16, o Ibovespa tinha valorização de 0,44%, aos 119.387,15 pontos. O giro financeiro da sessão somava 11,7 bilhões de reais.

Ações do setor bancário, que brilharam na semana passada após a divulgação do balanço de janeiro a março, tiveram boa parte dos ganhos desfeitos na sexta-feira, mas voltavam com força nesta sessão, antes dos resultados do Itaú Unibanco, nesta noite, e de Bradesco, após o pregão da B3 na terça-feira.

No plano mais abrangente, investidores seguem atentos ao noticiário de evolução da Covid-19. Na semana passada, recordes de mortes pela doença na Índia deterioraram algumas expectativas para a economia global, derrubando cotações das commodities.

A influência positiva de Wall Street sustentava o tom positivo dos negócios, mas esse ânimo tende a ser moderado por receios ligados ao quadro político doméstico, diante dos desdobramentos da CPI da Covid e suas implicações para a agenda de reformas.

"O ambiente político esquenta com os primeiros depoimentos na CPI da Covid", afirmou a Sul América Investimentos em nota a clientes, mas avaliando que o Ibovespa deve se manter próximo dos 120 mil pontos, na esteira de importantes balanços.

DESTAQUES

- BRADESCO subia 3,1%, ITAÚ UNIBANCO tinha ganho de 1,6%, SANTANDER BRASIL evoluía 2,2%. BANCO DO BRASIL, que divulga seus números trimestrais na quinta-feira, crescia 0,6%

-BB SEGURIDADE, que anunciou pela manhã que teve lucro líquido de 977 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de 10,7% ante mesma etapa de 2020, beneficiada pela maior rentabilidade de suas aplicações, avançava 0,7%.

- ECORODOVIAS e CCR subiam 2,9% e 6,9%, respectivamente. A CCR divulgou dados semanais de tráfego na última sexta-feira, indicando melhora no movimento em suas rodovias.

- SABESP recuava 6% após informar que tem opção de integrar a concessão do bloco 2 de ativos da fluminense Cedae, vencida pela Iguá Saneamento em leilão na última sexta-feira.

- BRASKEM caía 3,1%. A petroquímica informou na sexta-feira que as vendas de sua unidade no México recuaram 37% no primeiro trimestre contra um ano antes, afetadas em parte por uma tempestade congelante no Hemisfério Norte.

- As blue chips de commodities tinham desempenho moderado, com VALE em alta de 0,1%, enquanto PETROBRAS cedia 0,4%