Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,14
    +1,43 (+1,86%)
     
  • OURO

    1.636,40
    +3,00 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    19.016,73
    -112,10 (-0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    436,57
    -22,57 (-4,92%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.336,25
    +20,00 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1615
    -0,0179 (-0,35%)
     

Ibovespa avança 2% e assegura alta na semana com apoio externo; Vale dispara

B3

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta de mais de 2% nesta sexta-feira, garantindo desempenho positivo na semana, com Vale disparando 7,8% após o minério de ferro atingir máxima em duas semanas.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 2,17 %, a 112.300,41 pontos, acumulando na semana alta de 1,3%. Até a véspera, contabilizava um perda de 0,86%. O volume financeiro no dia somou 24,4 bilhões de reais.

Na visão do sócio e estrategista da Meta Asset Management, Alexandre Póvoa, a bolsa paulista refletiu o dia mais forte das commodities no mercado externo, bem como recuperação de ações ligadas à economia doméstica.

"O mercado (brasileiro) havia sofrido muito durante a semana por toda a expectativa sobre um 7 de Setembro tumultuado, o que acabou não acontecendo", observou.

Para o analista da Top Gain Sidney Lima, o Ibovespa também ganhou tração com dados de inflação na China, que validaram a visão no mercado de mais estímulos econômicos naquele país no curtíssimo prazo.

Investidores também reagiram à queda de 0,36% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em agosto, melhor resultado para o mês desde 1998 e quarto melhor para todos os meses da série do IBGE, iniciada em 1980.

O IPCA, na avaliação de Lima, confirmou que o Brasil tem conseguido fazer um bom gerenciamento do contexto inflacionário.

Ainda assim, o recuo foi um pouco menor do que o esperado, com aumento no índice de difusão do IPCA - para 65%, ante 63% em julho, na primeira alta desde abril, embora ainda abaixo dos índices ao redor de 75% vistos nos primeiros meses do ano.

Para Póvoa, "o 'dado pior por dentro' do IPCA parece já ter sido absorvido, dado que os prêmios nas curvas de juros estão já muito elevados, após as declarações duras de Roberto Campos Neto (presidente do Banco Central), no começo da semana".

Em Wall Street, o S&P 500 subiu 1,53%, com agentes mirando um dado de inflação ao consumidor nos EUA na próxima semana, que deve calibrar as apostas para o próximo movimento do Federal Reserve.

DESTAQUES

- VALE ON saltou 7,81%, a 69,55 reais, conforme os contratos futuros de minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura subiram às máximas de duas semanas e o maior ganho semanal em seis semanas, após a China, maior produtora mundial de aço, anunciou mais medidas para apoiar a economia.

- AMERICANAS ON disparou 9,31%, a 16,56 reais , em sessão positiva para o setor. VIA ON subiu 6,89% e MAGAZINE LUIZA ON fechou com acréscimo de 2,1%.

- PETROBRAS PN encerrou com variação negativa de 0,03%, a 31,79 reais, perdendo fôlego durante a sessão, apesar da alta dos preços do petróleo no exterior. O Brent, usado como referência pela empresa, encerrou o dia em alta de mais de 4%, a 92,84 reais o barril.

- MRV ON subiu 6,84%, a 12,19 reais, com o índice do segmento imobiliário avançando 2,48%, seguindo o alívio na curva de juros no Brasil. A equipe do Safra chamou a atenção para dados de financiamento do programa Casa Verde e Amarela mostrando crescimento em agosto.

- ITAÚ UNIBANCO PN teve elevação de 0,79%, 26,75 reais, e BRADESCO PN avançou 1,36%, a 19,38 reais.

- CPFL ENERGIA ON caiu 0,98%, acompanhada por outros papéis do setor elétrico, como EQUATORIAL ON, com baixa de 0,49%, TAESA UNIT, que encerrou com recuo de 0,53%, e CEMIG PN, que cedeu 0,25%.

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

(Por Paula Arend Laier)