Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.665,52
    -1.677,25 (-4,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Ibovespa abre semana em torno da estabilidade com CPI da Covid e ata do Fed no radar

·1 minuto de leitura
B3 em São Paulo

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa girava em torno da estabilidade na primeira hora de negócios desta segunda-feira, com investidores de olho em movimentos díspares nos mercados internacionais, em semana que deve ser marcada por importantes depoimentos na CPI da Covid e pela divulgação da ata da do Federal Reserve.

Às 10:38, o Ibovespa mostrava alta de 0,16%, a 122.070,91 pontos.

Em relatórios a clientes, gestores de recursos citaram nesta manhã a divulgação da ata da última reunião do FOMC, o comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), que será divulgada na sexta-feira e dará mais detalhes sobre como o órgão encara o cenário de crescimento e inflação.

Os agentes também seguem de olho em números globais da contaminação pela Covid, especialmente na Ásia, e seus possíveis desdobramentos para a retomada da economia, como pontuou a equipe de pesquisa econômica do Bradesco nesta manhã.

No plano doméstico, o foco é na política, com depoimentos esperados na CPI da Covid-19 dos ex-ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Eduardo Pazuello (Saúde).

Entre os destaques da abertura, Cemig era uma das líderes de alta, após a elétrica estatal mineira ter divulgado na sexta-feira à noite que teve lucro líquido de 422,35 milhões de reais no primeiro trimestre, ante prejuízo de 68,1 milhões um ano antes.

O pregão marca as estreias da plataforma digital de profissionais autônomos Getninjas e da gestora de capital de risco G2D, controlada pelo fundo GP Investments.

(Por Aluísio Alves)