Mercado fechado

Ibovespa abre em alta de mais de 1% com cenário externo no radar

Poliana Santos
Ibovespa abre em alta de mais de 1% com cenário externo no radar

O Ibovespa inicia esta terça-feira (4) em alta de mais de 1% com o cenário externo no radar.

Por volta das 10h40, o Ibovespa variava 1,44%, alcançando 116.279,42 pontos. O mercado nacional reage positivamente as injeções de liquidez da China e a retomada de confiança do investidor nas bolsas asiáticas.

Além disso, outros assuntos que movimentam mercado hoje: Bolsonaro envia carta ao congresso com oito pautas prioritárias, produção industrial recua no ano de 2019 e governadores solicitam ao presidente redução nos tributos federais.

China

Nesta terça, foi aplicado 500 bilhões de yuans (R$ 303,50 bilhões) de liquidez no sistema bancário por meio de operações de recompra reversa. Na última segunda-feira (3), foi injetado, pelo BC da China, 1,2 trilhão de yuans para estimular empréstimos a empresas.

Saiba Mais: China: BC injeta 500 bi de yuans e mercado encerra em alta

Após a afirmação do BC chinês, os índices acionários encerraram em alta nesta terça. O principal indicador CSI300, que reúne as principais empresas das duas bolsas, teve uma elevação de 2,64%, trata-se da maior alta desde 1° de julho do ano passado.

Pautas prioritárias no Congresso

O presidente da República, Jair Bolsonaro, enviou, na última segunda-feira, uma carta ao Congresso que pede aos deputados e senadores que aprovem uma pauta prioritária com oito temas.

Os seguintes temas devem ser prioridades na Casa:

  • Reforma tributária
  • MP do Contribuinte Legal
  • Programa Verde-Amarelo
  • Independência do Banco Central
  • Privatização da Eletrobras
  • Plano de Promoção do Equilibrio Fiscal
  • Novo Marco Legal do Saneamento
  • Plano Mais Brasil

"Sabemos que a missão é árdua, mas com dedicação, responsabilidade e com a união atingiremos nosso objetivo, que é construir um Brasil grande e mais jutos para todos", escreveu Bolsonaro.

Produção industrial

A produção industrial registrou recuou 1,1% em 2019, após dois anos consecutivos de crescimento. No ano de 2018, o crescimento foi de 1%, e em 2017 de 2,5%. Os dados foram apurados e divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta terça-feira (4).

O recuo da produção industrial, segundo o gerente de pesquisa do IBGE, André Macedo, se deu ao rompimento da barragem da Vale (VALE3) no início do ano passado. "Tiveram grande peso nesses resultados negativos os efeitos na indústria extrativa, em decorrência do rompimento da barragem de Brumadinho (MG) em janeiro de 2019".

Governadores x Bolsonaro

Os governadores solicitaram na última segunda-feira ao presidente da República que reduza os tributos federais sobre combustíveis e reveja política de preços da Petrobras.

No último domingo, Bolsonaro publicou em seu Twitter que o governo diminui os preços do combustíveis nas refinarias, no entanto, o valor não é reduzido ao consumidor devido ao Estado que possui autonomia de alíquota.

"Consideramos que o governo federal pode e deve imediatamente abrir mão das receitas de PIS, COFINS e CIDE, advindas de operações com combustíveis", informou o documento assinado por 22 dos 27 governadores.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, segunda-feira, o Ibovespa encerrou em alta de 0,76%, a 114.629,21 pontos.