Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.614,11
    +85,14 (+0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,84
    -0,83 (-1,32%)
     
  • OURO

    1.796,70
    +18,30 (+1,03%)
     
  • BTC-USD

    55.968,28
    -193,41 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.286,36
    +23,40 (+1,85%)
     
  • S&P500

    4.150,47
    +15,53 (+0,38%)
     
  • DOW JONES

    33.992,96
    +171,66 (+0,51%)
     
  • FTSE

    6.908,03
    +48,16 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.815,75
    +21,50 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6903
    -0,0122 (-0,18%)
     

IBM inaugura datacenters no Brasil e expande presença em nuvem na América Latina

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

A IBM anunciou nesta terça-feira (16) o início das operações de sua primeira IBM Cloud Multizone Region (MZR) na América Latina, expandindo sua presença global de computação em nuvem da companhia. O recém-inaugurado complexo de datacenters focará na implementação de cargas de trabalho de missão crítica, com altos níveis de resiliência em ambientes de nuvem híbrida.

Ainda segundo a IBM a Multizone Region tem como objetivo apoiar a adoção de nuvem híbrida à medida que empresas de todos os setores aceleram seus planos de transformação digital em resposta à pandemia da COVID-19. Ela é projetada para oferecer baixa latência e mais segurança, ao mesmo tempo em que ajuda os clientes a atender aos requisitos de soberania e conformidade de dados - o que é especialmente importante para clientes em setores regulados como serviços financeiros, governo e telecomunicações, entre outros.

Ao hospedar cargas de trabalho na nuvem pública IBM Cloud, os clientes também poderão usar recursos, entregues com IBM Hyper Protect Crypto Services e protegidos em um alto nível de certificação de segurança. Isso permite que as empresas mantenham o controle de suas próprias chaves de criptografia, o que significa que os clientes são os únicos que podem controlar o acesso aos seus dados - nem mesmo a IBM pode acessá-los.

Cloud Multizone Region: IBM expande sua capacidade nuvem híbrida na América Latina (Foto: IBM)
Cloud Multizone Region: IBM expande sua capacidade nuvem híbrida na América Latina (Foto: IBM)


Ao conectar três zonas de disponibilidade remota - todas independentes umas das outras - os clientes que hospedam cargas de trabalho em IBM Cloud, em casos de falha, terão a instabilidade afetando uma única zona. Isso significa que eles podem executar cargas de trabalho de missão crítica continuamente em ambientes de nuvem híbrida e manter os negócios em funcionamento.

“A IDC espera que até 2022, cerca de 40% do PIB latino-americano seja digital, gerando US$ 460 bilhões em gastos com TI até 2023. Os investimentos em tecnologia de nuvem devem ser um fator chave para este crescimento, com 35% dos gastos com TI relacionados a computação em nuvem”, disse Alejandro Florean, vice-presidente de consultoria da IDC América Latina. “A abertura da multizone region de IBM Cloud no Brasil é importante, uma vez que as empresas estão demonstrando um interesse maior em nuvem e isso pode ajudar as empresas latino-americanas a experimentar os benefícios de uma abordagem de nuvem híbrida e se diferenciar em seus setores.”

Nesta primeira fase, estará disponível um conjunto de soluções de infraestrutura como serviços e de armazenamento, que ajudam a fornecer segurança e controle do tráfego da rede, proteção de dados sensíveis, sistemas de backup e recuperação. Ao longo de 2021, o catálogo de IBM Cloud continuará a ser lançado, oferecendo opções de serviços de plataforma para ajudar os clientes a implementar a arquitetura e aplicações de missão crítica em ambientes de nuvem híbrida e capacidades de inteligência artificial com IBM Watson, blockchain, IoT e analítica.

IA com foco em sustentabilidade

Com base em seu trabalho para enfrentar a crise climática global, a IBM anunciou recentemente o seu compromisso de atingir zero emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2030. Utilizando uma combinação de inteligência artificial, recursos de nuvem híbrida e computação quântica, os pesquisadores da IBM estão trabalhando com clientes e parceiros para abordar questões complexas relacionadas ao clima, como a crescente pegada de carbono global de cargas de trabalho em nuvem e datacenters.

IBM está usado IA e computação quântica para questões complexas relacionadas ao clima (Imagem: IBM)
IBM está usado IA e computação quântica para questões complexas relacionadas ao clima (Imagem: IBM)


Isso é importante para o meio ambiente e ajudará os clientes da IBM no país em suas próprias iniciativas de sustentabilidade, visto que muitas empresas em todo o mundo procuram reduzir suas emissões de carbono. “Em um momento de transformação dos negócios, especialmente nos processos operacionais e de relacionamento, a IBM investe em infraestrutura e serviços em nuvem para apoiar nossos clientes e a sociedade na aceleração de sua jornada digital”, diz Katia Vaskys, Gerente Geral da IBM Brasil. “Com orgulho expandimos nossos investimentos e presença no Brasil oferecendo altos níveis de confiabilidade, segurança e controle para criar novos modelos de negócio baseados em uso massivo de dados e inteligência artificial, e apoiados em nuvem híbrida.”

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: