Mercado fechado

IBGE: Inflação de administrados desacelera com contas de luz, água e esgoto

Bruno Villas Bôas

Índice saiu de alta de 0,60% em agosto para 0,12% um mês depois A inflação dos preços administrados — que inclui produtos e serviços monitorados pelos governos — foi de 0,12% em setembro, inferior ao 0,60% um mês antes, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado refletiu a desaceleração da conta de luz, que ficou estável em setembro, após alta de 3,85% em agosto. Esse movimento reflete a diluição da mudança da bandeira tarifária para vermelha patamar 1, que adiciona R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

EBC

IPCA recua 0,04% e registra menor taxa para setembro desde 1998

Higiene e planos pressionam despesas com saúde no IPCA de setembro

INPC cai 0,05% em setembro, depois de alta de 0,12% em agosto

A variação de preços da taxa de água e esgoto também perdeu fôlego, ao passar de 1,34% em agosto para 0,09% em setembro. Outros itens em desaceleração foram pedágio (de 0,31% para 0,02%) e gás encanado (de 0,46% para 0,03%).

A inflação dos administrados passou a acumular alta de 2,87% em 12 meses, abaixo dos 2,43% medidos no mês anterior.

Serviços

O IBGE mostrou ainda que o índice de preços dos serviços consumidos pelas famílias subiu 0,04% em setembro, seguindo aumento de 0,07% em agosto. Desta forma, o índice acumulado em 12 meses desacelerou de 3,96% em agosto para 3,59% no mês seguinte.

Um dos itens responsáveis pela desaceleração foi a alimentação fora do domicílio (como em restaurantes, bares, lanchonetes), cuja alta passou de 0,53% em agosto para 0,04% em setembro, o que pode estar relacionado à queda dos preços dos alimentos no mês, especialmente de tubérculos, raízes e legumes.

Outros itens de preços desaceleraram no mês, como condomínio (de 0,17% em agosto para -0,20% em setembro), estacionamento (de 0,15% para -0,06%), lubrificação e lavagem (de 2,22% para 1,03%), fisioterapeuta (de 1,32% para 0,50%), psicólogo (0,41% para 0,02%), ingresso para jogo (de 0,36% para estabilidade), entre outros.