Mercado fechará em 5 h 6 min
  • BOVESPA

    109.742,83
    +341,42 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.799,46
    -434,91 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,76
    -1,17 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.790,50
    +9,20 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    17.011,81
    -237,89 (-1,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,34
    -9,88 (-2,40%)
     
  • S&P500

    3.998,84
    -72,86 (-1,79%)
     
  • DOW JONES

    33.947,10
    -482,78 (-1,40%)
     
  • FTSE

    7.539,08
    -28,46 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    19.441,18
    -77,11 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    27.885,87
    +65,47 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    11.817,50
    +11,75 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5281
    -0,0053 (-0,10%)
     

IBGE: expectativa de vida no Brasil chega aos 77 anos, sem considerar a covid-19

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta sexta-feira (25), que a expectativa de vida aumentou 2 meses e 26 dias em relação ao ano passado, chegando aos 77 anos no Brasil. Hoje, mulheres vivem quase 7 anos a mais que os homens. Os dados desconsideram o impacto da pandemia da covid-19 entre os brasileiros.

"Caso o Brasil não tivesse vivenciado uma crise de mortalidade no ano de 2021, a expectativa de vida ao nascer seria de 77 anos para o total da população, um acréscimo de exatos 2 meses e 26 dias em relação ao valor estimado para o ano de 2020 (76,8 anos)", afirma o IBGE em nota técnica.

Considerando apenas as mulheres brasileiras, a expectativa de vida é de 80,5 anos em 2021, segundo dados das Tábuas de Mortalidade do IBGE. Para os homens, a média caí para 73,6 anos.

Expectativa de vida no Brasil chega aos 77 anos, segundo o IBGE (Imagem: Zamrznutitonovi/Envato)
Expectativa de vida no Brasil chega aos 77 anos, segundo o IBGE (Imagem: Zamrznutitonovi/Envato)

Por que o IBGE não considera a covid-19 na expectativa de vida no Brasil?

Conforme explica o IBGE, os dados sobre a expectativa de vida dos brasileiros de 2020 também desconsideraram o impacto da pandemia da covid-19 na mortalidade da população. Entre os argumentos, está o fato de que "a crise sanitária provocada pela covid-19 elevou os óbitos em 2020 e 2021. No entanto, é muito pouco provável que a elevação nos óbitos se mantenha nos anos seguintes", pontua o instituto.

Afinal, o entendimento é que, com o controle da pandemia e vacinação em massa e atualizada, o nível de mortalidade retorne ao patamar pré-crise, dando continuidade a uma trajetória de aumento da expectativa média de vida no Brasil.

Além disso, o instituto explica que "para que os efeitos observados da pandemia da covid-19 estejam refletidos nas Tábuas de Mortalidade é necessária uma alteração metodológica com relação à forma como o IBGE vem calculando suas Tábuas", o que não foi realizado.

Fora do Brasil, alguns países analisam a expectativa de vida considerando a pandemia. Neste caso, a maioria apresentou queda na média de anos vividos, como efeito da alta mortalidade provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2. Em 2021, um dos únicos países a representar aumento na expectativa foi a Noruega, segundo levantamento internacional.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: