Mercado abrirá em 9 h 16 min
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,95
    -0,41 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.827,10
    -2,80 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    35.866,30
    +163,37 (+0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    698,82
    -36,32 (-4,94%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.682,17
    +108,31 (+0,38%)
     
  • NIKKEI

    28.299,15
    -220,03 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    12.761,25
    -41,00 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3882
    -0,0044 (-0,07%)
     

FGV diz que inflação medida pelo IPC-S fecha 2020 em 5,17%

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S), de 31 de dezembro de 2020, variou 1,07%, ficando 0,14 ponto percentual abaixo da taxa registrada na semana anterior. No ano, o indicador acumulou alta de 5,17%. Os dados foram divulgados hoje (4), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre).

A apuração de preços - feita entre 1º e 31 de dezembro - registrou decréscimo em suas taxas de variação em quatro das oito classes de despesa que compõem o índice.

O grupo educação, leitura e recreação deu a maior contribuição para a queda semanal, variando de 2,19% para -0,58%, com destaque para o item passagem aérea, que passou de 9,62% para -9,49%.

Também tiveram decréscimo na variação os grupos alimentação (1,73% para 1,47%), com destaque para hortaliças e legumes (0,01% para -1,61%); transportes (0,71% para 0,68%), tendo maior relevância a variação do preço do etanol (3,63% para 2,67%); e comunicação (0,10% para 0,02%), com a mensalidade para internet passando de -0,20% para -0,40%.

Tiveram alta na taxa de variação os grupos habitação (2,28% para 2,87%), com a tarifa de eletricidade residencial passando de 9,35% para 11,93%; vestuário (-0,21% para 0,38%), com a variação das roupas indo de -0,47% para 0,35%; e saúde e cuidados pessoais (0,09% para 0,29%), onde a taxa de variação dos artigos de higiene e cuidado pessoal foi de -0,10% para 0,69%.

*Matéria alterada às 9h44 para correção de título, que atribuía a informação ao IBGE e não à FGV.