Mercado abrirá em 6 h 23 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,80
    +2,65 (+3,89%)
     
  • OURO

    1.795,40
    +7,30 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    57.320,38
    +2.981,91 (+5,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.432,23
    -23,18 (-1,59%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    23.833,99
    -246,53 (-1,02%)
     
  • NIKKEI

    28.291,38
    -460,24 (-1,60%)
     
  • NASDAQ

    16.207,50
    +156,50 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2980
    -0,0505 (-0,80%)
     

IATA anuncia aumento no preço das passagens aéreas pela alta do petróleo

·2 min de leitura
Foto de arquivo de um avião da United Airlines no aeroporto internacional de Chicago, nos Estados Unidos, em 5 de outubro de 2020 (AFP/Daniel SLIM)

O aumento nos preços do petróleo é "um indicador positivo" para as companhias aéreas porque aponta a retomada do crescimento econômico, mas repercutirá nos preços das passagens, disse sua associação IATA nesta quarta-feira (3).

"O aumento dos preços do petróleo como conhecemos hoje é provavelmente um indicador positivo para o setor (das companhias aéreas), já que geralmente reflete um aumento na demanda econômica", afirmou Willie Walsh, diretor-geral da IATA, durante uma vídeoconferência de imprensa.

"As companhias aéreas sofreram grandes prejuízos nos últimos meses, portanto, é impossível que essas companhias possam absorver este aumento: deve repercutir nos consumidores e isso terá um impacto nos preços" das passagens, acrescentou.

Esses aumentos nos preços não deveriam frear a recuperação do setor no curto a médio prazo, disse. O tráfego deve se recuperar "à medida que as restrições de viagem são eliminadas", mas podem "levar a uma demanda menor a longo prazo".

A IATA constata uma "recuperação moderada" no tráfego aéreo em setembro, que corresponde a 53,4% menos que seu nível em setembro de 2019, em comparação com uma queda de 56% entre agosto de 2019 e agosto de 2021.

A queda em setembro foi de 69% na Ásia, de 50% na Europa e de 30,5% na América do Norte durante dois anos.

Por atividade, os voos domésticos continuam sua recuperação (-24% em dois anos), mas os internacionais seguem altamente afetados (-69%).

O levantamento das proibições de viagem foi "mais lento do que queríamos e mais lento do que pensamos que a ciência permitiria", afirmou Willie Walsh, que celebrou a reabertura das viagens para os Estados Unidos na próxima segunda-feira 8 de novembro, a qual ele esperava para o começo do verão boreal (inverno no Brasil).

Os executivos de companhia aérea com os quais falou estão "mais otimistas sobre a retomada das viagens de negócios", disse.

O frete aéreo continua crescendo, o que "deve continuar", segundo Walsh. Estava em alta com 9% em setembro, em comparação com 2019.

liu/vac/ngu/msr/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos