Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.258,23
    -173,81 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

IA pode detectar Parkinson através da respiração

Quando é feito o diagnóstico do Parkinson, o quadro do paciente já está, na maioria das vezes, avançado. Diante desse desafio, pesquisadores de todo o mundo buscam formas de acelerar o diagnóstico. Este é o caso de uma equipe de cientistas norte-americanos que desenvolveu uma Inteligência Artificial (IA) capaz de detectar a doença através da respiração.

Publicado na revista científica Nature Medicine, o estudo sobre a IA do Parkinson foi liderado por pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Segundo os autores, a tecnologia consegue ler os padrões de respiração de uma pessoa enquanto ela dorme e, a partir das informações coletadas, a rede neural estabelece qual é a gravidade do quadro e como ele tem progredido.

Cientistas do MIT criam IA que diagnostica Parkinson, através da respiração (Imagem: Yang et al.,2022/Nature Medicine)
Cientistas do MIT criam IA que diagnostica Parkinson, através da respiração (Imagem: Yang et al.,2022/Nature Medicine)

Relação entre a respiração e o Parkinson

O curioso é que esta associação entre a respiração e a doença é mais antiga do que poderíamos imaginar. "A relação entre Parkinson e respiração foi observada ainda em 1817, no trabalho do Dr. James Parkinson [o médico que descobriu a doença]”, explica Dina Katabi, uma das autoras do estudo e professora do MIT, em comunicado.

Segundo Katabi, foram estas observações iniciais que os motivaram a considerar "o potencial de detectar a doença pela respiração, sem olhar para os movimentos". Além disso, "estudos médicos mostraram que os sintomas respiratórios se manifestam anos antes dos sintomas motores, o que significa que os atributos respiratórios podem ser promissores para avaliação de risco antes do diagnóstico de Parkinson”, acrescenta sobre a possibilidade de um diagnóstico precoce.

Vale lembrar que, no mundo, mais de 55 milhões de pessoas vivem com algum tipo de demência, sendo que o Parkinson é uma das mais comuns. Por ano, são diagnosticados pelo menos 10 milhões de novos casos, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como funciona a IA que diagnostica esta demência?

Para diagnosticar o Parkinson, pesquisadores costumam usar algum método invasivo, como a coleta do líquido cefalorraquidiano. De forma geral, estas estratégias são caras e exigem acesso a centros médicos especializados. Em outras palavras, não são acessíveis para a maioria da população. Em contrapartida, o projeto do MIT usa a IA para rastrear o Parkinson enquanto um paciente suspeito para a doença está dormindo, na sua própria casa. É preciso usar apenas um cinto com sensor.

Para o exame, foi desenvolvido um dispositivo — parecido com um roteador Wi-Fi doméstico. No lugar de fornecer acesso à internet, o equipamento emite sinais de rádio, analisa seus reflexos no ambiente ao redor e extrai os padrões respiratórios do paciente, sem qualquer interferência corporal. Em seguida, o sinal de respiração é enviado para a rede neural e esta avalia indícios de Parkinson de maneira passiva.

Por enquanto, a equipe planeja testar a nova tecnologia em outros experimentos para validação, mas, no futuro, esta IA pode ser uma importante ferramenta para o diagnóstico do Alzheimer precoce.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: