Mercado fechará em 4 h 10 min
  • BOVESPA

    99.025,23
    +71,33 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.267,95
    +524,80 (+1,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,38
    +1,95 (+1,80%)
     
  • OURO

    1.807,50
    +6,00 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    19.792,90
    +732,28 (+3,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,04
    +8,90 (+2,12%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.242,36
    +73,71 (+1,03%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.558,25
    -53,00 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5174
    -0,0413 (-0,74%)
     

IA da Meta consegue replicar movimentos de várias partes do corpo humano

Cientistas do Laboratório de Pesquisa de Inteligência Artificial da Meta, nos Estados Unidos, e do Laboratório de Engenharia e Modelagem Neuromecânica da Universidade de Twente, na Holanda, desenvolveram gêmeos digitais capazes de realizar movimentos complexos.

Segundo os pesquisadores, a estrutura de código aberto chamada MyoSuite combina modelos musculoesqueléticos avançados com inteligência artificial (IA), permitindo interações com robôs assistivos e eliminando a necessidade de longas experimentações com seres humanos reais.

“Se pudermos prever o resultado de uma terapia robótica com antecedência, conseguiremos otimizá-la para um paciente humano, oferecendo um tratamento verdadeiramente personalizado e muito mais econômico”, explica o professor de engenharia robótica Massimo Sartori, coautor do estudo.

MyoSuite

O sistema MyoSuite utiliza inteligência artificial para fazer simulações em dispositivos musculoesqueléticos, interagindo fisicamente com exoesqueletos de última geração. Essa estrutura de código aberto também pode replicar fenômenos biológicos, como fadiga e redução da massa muscular, distensões e rupturas de tendões.

MyoSuite em ação (Imagem: Reprodução/Meta AI)
MyoSuite em ação (Imagem: Reprodução/Meta AI)

Além disso, esse sistema de inteligência artificial foi projetado para simular como os robôs assistivos podem ser adaptados e controlados para restaurar o movimento de qualquer parte do corpo humano após um acidente debilitante ou alguma deficiência física permanente.

“Devido à correção fisiológica de nossos modelos neurais e musculares e ao realismo físico de nossas simulações, os comportamentos alimentados pelo sistema de inteligência artificial são extremamente realistas, podendo ser adaptados para prever os movimentos, de mãos, pés, braços e pernas”, acrescenta Sartori.

Exoesqueletos do futuro

Os modelos musculoesqueléticos no MyoSuite são até 4 mil vezes mais rápidos do que outros simuladores convencionais. Esse sistema utiliza aprendizagem de máquina para resolver problemas de controle biomecânico, unificando inteligência motora e neural.

MyoSuite emulando o movimento dos tendões (Imagem: Reprodução/Meta AI)
MyoSuite emulando o movimento dos tendões (Imagem: Reprodução/Meta AI)

Com o avanço dessa tecnologia, os cientistas acreditam quem esses modelos ajudarão os desenvolvedores a construir avatares que se movem de forma mais realista, tornando os exoesqueletos mais interativos e responsivos aos movimentos complexos do corpo humano.

“A MyoSuite pode abrir novos caminhos na redução dos ciclos de repetição para o design de exoesqueletos e tratamentos auxiliados por robôs. Esperamos que diversos recursos suportados por nossa estrutura representem novas oportunidades na compreensão de como os sistemas neuromecânicos interagem com agentes robóticos artificiais”, encerra o professor Massimo Sartori.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos