Mercado fechado

IA consegue recriar vídeos que você viu com base em suas ondas cerebrais

Nathan Vieira

Os avanços a passos largos da inteligência artificial (IA) ainda surpeendem, e em algumas ocasiões chegam até a assustar, com novidades que a gente acha que estavam distantes da realidade. Um exemplo disso é um estudo lançado recentemente pelos funcionários da Neurobotics com o Instituto de Física e Tecnologia de Moscou para o projeto NeuroNet NTI Assistive Neurotechnology: os pesquisadores russos desenvolveram uma IA que pode reproduzir quais vídeos as pessoas estavam assistindo ao analisar suas ondas cerebrais.

Grigory Rashkov - da empresa russa de pesquisa - e seus colegas treinaram essa inteligência artificial usando videoclipes de diferentes objetos e gravações de ondas cerebrais das pessoas que os assistiam. As gravações foram feitas usando um eletroencefalograma, e os videoclipes incluíam cenas da natureza, pessoas em jet skis e expressões humanas. "Como parte do projeto NeuroNet NTI Assistive Neurotechnology, os funcionários do grupo empresarial Neurobotics e o Instituto de Física e Tecnologia de Moscou treinaram redes neurais para recriar imagens da atividade elétrica do cérebro. No futuro, essa descoberta criará um novo tipo de dispositivo para reabilitação pós-AVC", declara a empresa ao colocar no YouTube o vídeo dessa tecnologia na prática:

Visualmente, essa inteligência artificial demonstra sucesso ao recriar os principais temas das imagens, como formas e cores. Detalhes mais sutis, como os encontrados em rostos humanos, são mais difíceis de recriar, com a maioria aparecendo distorcida. "As inteligências artificiais de leitura da mente ainda estão apenas lendo superficialmente o pensamento humano", explica Victor Sharmas, da Universidade do Arizona. “O que estamos vendo atualmente é uma caricatura da experiência humana, mas nada remotamente se assemelha a uma reprodução precisa", diz ele.

De qualquer forma, é certo prever que a tecnologia será aperfeiçoada com o tempo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: