Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.375,25
    -1.185,58 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.728,87
    -597,81 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,20
    +4,75 (+5,37%)
     
  • OURO

    1.701,80
    -19,00 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    19.572,42
    -359,53 (-1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,50
    -9,53 (-2,09%)
     
  • S&P500

    3.639,66
    -104,86 (-2,80%)
     
  • DOW JONES

    29.296,79
    -630,15 (-2,11%)
     
  • FTSE

    6.991,09
    -6,18 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.096,25
    -445,50 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0768
    -0,0367 (-0,72%)
     

IA brasileira reduz o tempo sem energia em caso de falhas na rede

Pesquisadores da Escola de Engenharia da USP de São Carlos (EESC), no interior paulista, desenvolveram um novo sistema que utiliza inteligência artificial (IA) para reduzir o tempo em que uma região ficaria sem energia em caso de falhas na distribuição da rede elétrica.

Segundo os cientistas, essa tecnologia ajuda as concessionárias a otimizarem os serviços de manutenção na rede afetada, diminuindo o prazo para execução dos reparos em até 20%. Um algoritmo é usado para avaliar diferentes informações e determinar qual é a forma mais eficiente de resolver o problema.

“Não existia um algoritmo capaz de reunir esses dados, interpretá-los e transformá-los numa informação útil, traduzida em tempo real para o operador. Muitas vezes, o profissional precisa tomar uma decisão rápida, mas com tantas variáveis, ele não consegue interpretá-las no tempo necessário e acaba seguindo uma estratégia padrão, que pode não ser a mais eficaz naquela situação”, explica, em comunicado, o doutorando em engenharia elétrica Henrique de Oliveira Caetano.

Inteligência artificial

O programa de computador desenvolvido pelos cientistas considera as condições meteorológicas da região afetada pela falha na rede elétrica, verifica a posição de origem das equipes de manutenção, o estado e o nível de congestionamento das estradas que levam até o local, além do histórico de reparos ocorridos anteriormente.

Software otimiza o tempo gasto por equipes de manutenção para resolver problemas na rede elétrica (Imagem: AndersonPiza/Envato)
Software otimiza o tempo gasto por equipes de manutenção para resolver problemas na rede elétrica (Imagem: AndersonPiza/Envato)

A tecnologia conta ainda com um sistema desenvolvido pela NASA para ajudar nas estimativas das condições climáticas, auxiliando o pessoal responsável pelo reparo com informações importantes sobre eventos atmosféricos que podem influenciar diretamente na resolução do problema.

“O sistema consegue avaliar as regiões que são mais suscetíveis a alagamentos, os equipamentos ou locais que mais apresentam falhas e quais são os problemas mais recorrentes. Sabendo com antecedência que haverá uma tempestade, por exemplo, podemos deslocar equipes para posições estratégicas antes que uma falha ocorra”, acrescenta o também doutorando em engenharia elétrica Matheus Fogliatto, coautor do estudo.

Testes simulados

Os pesquisadores realizaram vários testes com programas de computador que simulam diferentes cenários da realidade de um sistema de distribuição de energia, para prever possíveis falhas, variáveis atmosféricas, histórico de problemas e prazo estimado para conclusão dos reparos.

O novo sistema também é vantajoso para as concessionárias que pagariam menos multas por interrupções no serviço (Imagem: alexlucru123/Envato)
O novo sistema também é vantajoso para as concessionárias que pagariam menos multas por interrupções no serviço (Imagem: alexlucru123/Envato)

Considerando o tempo padrão necessário para a realização de consertos de problemas comuns, o sistema desenvolvido pelos cientistas da USP de São Carlos conseguiu reduzir em aproximadamente 20% o período em que uma determinada região ficaria sem energia elétrica.

“Do ponto de vista do cliente, é menos tempo sem energia, enquanto aos olhos da concessionária, serão multas menores a pagar. Os sistemas de distribuição de energia elétrica vão falhar, por mais que a tecnologia dos equipamentos esteja evoluindo nos últimos anos. Por isso, temos que desenvolver estratégias para melhorar e acelerar a recuperação das redes”, encerra o professor de engenharia elétrica Carlos Maciel, orientador do estudo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: