Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,03
    -0,14 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.866,20
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    13.434,18
    -108,74 (-0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    264,05
    +21,37 (+8,80%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.184,50
    -158,25 (-1,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7425
    +0,0081 (+0,12%)
     

Hyundai HB20 tem nota rebaixada para 1 estrela em teste de colisão

br.info@motor1.com (Nicolas Tavares)
·4 minutos de leitura
Hyundai HB20 - Teste de colisão (2020)
Hyundai HB20 - Teste de colisão (2020)

Latin NCAP realizou segundo crash-test e reduziu nota do hatchback de quatro estrelas para apenas uma

[ATUALIZAÇÃO]: A Hyundai Motor Brasil enviou seu posicionamento sobre o teste do Latin NCAP e a redução da nota de 4 estrelas para apenas 1 estrela. A resposta da fabricante sul-coreana está no final do texto.

Após ficar em silêncio durante o 1º semestre, o Latin NCAP, ONG que realiza testes de colisão para carros na América Latina, anunciou o primeiro resultado do ano. Nele, a nova geração do Hyundai HB20 passou por uma 2ª avaliação, desta vez com um veículo adquirido pela organização (o anterior havia sido cedido pela Hyundai). Para nossa surpresa, o hatch teve sua nota rebaixada de 4 estrelas para apenas 1 estrela na proteção para adultos.

De acordo com o Latin NCAP, o motivo de reduzir a nota do novo Hyundai HB20 para apenas uma estrela na proteção para adultos foi o resultado do impacto lateral, que ultrapassou os limites permitidos. Apesar de ter protegido na região da cabeça e da pelve, a batida fez com que a porta alcançasse o tórax do passageiro, obtendo a pior avaliação (pobre). E, pelo protocolo, quando uma parte do corpo do boneco de testes recebe esta nota, o limite da avaliação total do carro é reduzida para uma estrela. A proteção para crianças segue em 3 estrelas.

O restante da avaliação do HB20 mostrou um resultado bem próximo do que vimos em 2019, com notas entre “bom” e “marginal”, no impacto frontal. Tanto é que recebeu 10,49 pontos do máximo de 16 pontos neste questio. E até o lateral poderia ter sido melhor caso não tivesse recebido um resultado “pobre” para o tórax, pois marcou 10,48 pontos do máximo de 16 pontos.

Ocupante Adulto: Impacto frontal: A proteção oferecida para a cabeça e o pescoço do motorista e do passageiro foi boa. O peito do motorista recebeu proteção marginal e o do passageiro, adequada. Os joelhos do motorista e um dos joelhos do passageiro mostraram proteção marginal ao serem capazes de impactar com áreas de risco atrás do painel; o outro joelho do passageiro mostrou boa proteção. As tíbias do motorista e do passageiro apresentaram proteção adequada. A área dos pés foi considerada estável. A estrutura do habitáculo foi constatada como estável, sendo capaz de suportar cargas maiores.

Impacto lateral: a proteção oferecida para a cabeça e a pelve foi boa, a
proteção para o abdome é marginal e a proteção para o tórax é fraca.

Impacto lateral de poste: não foi realizado, pois o veículo não possui proteção de cabeça para impacto lateral como padrão.

ESC: o ESC foi testado e seu comportamento atende aos requisitos regulamentares do Latin NCAP. O modelo tem dois SBRs na fila de bancos da frente. Todos os itens acima explicam as quatro estrelas para proteção de ocupantes adultos.

Relembre o teste anterior:

Em seu comunicado, a ONG diz que não encontrou qualquer diferença na construção entre o HB20 usado neste novo teste e a unidade que foi cedida pela Hyundai em 2019. “Na verdade, a deformação da estrutura parece a mesma, com deformação interna semelhante e pontos de impacto similares no dummy”, explica Alejandro Furas, Secretário-Geral do Latin NCAP.

“Notamos uma desaceleração diferente sob as mesmas condições de teste e um comportamento ligeiramente diferente no painel interno das portas durante a colisão. Os sistemas de segurança não devem mostrar essas variações de um teste para outro. Esta situação levanta sérias questões sobre a estratégia da Hyundai dos sistemas de retenção de impacto lateral do HB20,” conclui o executivo.

Hyundai HB20 - Teste de colisão (2020)
Hyundai HB20 - Teste de colisão (2020)

A variação do resultado levou a organização a questionar a Hyundai sobre a oscilação na qualidade do HB20, buscando uma explicação das diferenças no crash-test. Em nota enviada na segunda-feira (13 de outubro) a marca se posicionou sobre o teste do Latin NCAP:

· A Hyundai desenvolveu o HB20 originalmente para o Brasil e, posteriormente, passou a exportá-lo para países vizinhos, sempre com base na mesma qualidade global de todos os seus produtos.

· Não houve qualquer mudança no processo de produção ou na especificação do veículo que possa justificar a extrema variação entre os dois testes realizados pelo Latin NCAP em menos de um ano.

· A Hyundai está investigando profundamente os testes do Latin NCAP a fim de entender a causa real para resultados tão diferentes entre o recente teste de auditoria e o teste original de setembro de 2019.

· Nenhuma conclusão pode ser elaborada antes dessa investigação completa. Mas a Hyundai assegura que, caso haja qualquer possibilidade de melhorar a segurança do HB20, isso sempre será levado em consideração.