Mercado fechará em 3 h 32 min
  • BOVESPA

    111.201,42
    +275,82 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.408,03
    -49,52 (-0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,50
    +0,28 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.798,40
    -16,80 (-0,93%)
     
  • BTC-USD

    16.949,17
    -23,64 (-0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,41
    +0,98 (+0,24%)
     
  • S&P500

    4.038,43
    -38,14 (-0,94%)
     
  • DOW JONES

    34.136,99
    -258,02 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.564,23
    +5,74 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.927,75
    -135,00 (-1,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4445
    -0,0209 (-0,38%)
     

Hypera está confiante que atingirá projeções para 2022, diz diretor

SÃO PAULO (Reuters) - O desempenho da farmacêutica Hypera até setembro deste ano reforça a confiança de sua administração no cumprimento das projeções para 2022, disse Adalmario do Couto, diretor de relações com investidores da companhia, em conferência de resultados com analistas nesta sexta-feira.

A companhia estimou no início do ano avanços de 25% na receita líquida em comparação a 2021, de 24% no Ebitda e de 5% no lucro líquido.

Por volta de 11h50, as ações da Hypera subiam 0,3%, a 48,13 reais cada, enquanto o Ibovespa caía 0,7%, após a empresa divulgar na noite da véspera alta de 1,1% no lucro líquido do terceiro trimestre ante um ano antes, para 469,7 milhões de reais.

A Hypera, dona da Neo Química e de marcas como Dramin, Benegrip e Buscopan, passou por um ciclo recente de aquisições, incluindo de ativos da Sanofi e da Takeda. O presidente da empresa, Breno de Oliveira, disse que as transações ajudaram a elevar a alavancagem da farmacêutica a cerca de 2,5 vezes e o objetivo é reduzir para cerca de 2 vezes em um ano e meio.

Os executivos ainda projetaram lançamentos de sete a nove produtos para o mercado institucional em 2023 e falaram em cenário de maior normalidade no mercado, o que pode gerar redução de estoques de segurança acumulados na pandemia pela empresa nos próximos trimestres.

(Por Andre Romani)