Mercado abrirá em 32 mins
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,68
    +0,93 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.722,30
    -11,30 (-0,65%)
     
  • BTC-USD

    51.563,05
    +2.741,75 (+5,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.029,26
    +41,16 (+4,17%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.666,00
    +52,25 (+0,79%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.125,25
    +70,00 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8718
    +0,0097 (+0,14%)
     

Hungria recebe primeiras doses da vacina chinesa Sinopharm

·1 minuto de leitura
A China, onde o novo coronavírus surgiu há um ano, investiu muito no desenvolvimento de vacinas

As primeiras 550.000 doses da vacina chinesa Sinopharm contra a covid-19 chegaram nesta terça-feira (16) na Hungria, único país da União Europeia que a aprovou, anunciou o governo de Viktor Orban, que permitiu também o uso da russa Sputnik V.

"Graças à cooperação com o governo chinês, somos o primeiro país da UE a receber a vacina Sinopharm", disse na praça Tamas Menczer o secretário de Estado das Relações Exteriores.

"Estamos tentando salvar vidas e manter a economia. É um dia importante para a Hungria", acrescentou.

As autoridades farmacêuticas húngaras deram sinal verde para esta vacina no final de janeiro, anunciando ao mesmo tempo um pedido de 5 milhões de doses.

A Hungria já havia feito uma exceção ao aprovar a vacina russa Sputnik V, usada desde sexta-feira neste país de 9,8 milhões de habitantes.

Naquela ocasião, o primeiro-ministro criticou mais uma vez o processo de validação e compra das vacinas por parte da UE, considerando-o muito lento.

mg/anb/abx/mab/mb/aa