Mercado fechado

Hubble tira nova foto de Júpiter e revela mudanças em suas faixas coloridas

Daniele Cavalcante
·3 minutos de leitura

O Telescópio Espacial Hubble registrou uma nova imagem de Júpiter, mostrando o que mudou em sua superfície gasosa governada por tempestades gigantes. Todo ano, o projeto Outer Planets Atmospheres Legacy (OPAL) fornece imagens dos planetas externos do Sistema Solar para acompanhar as mudanças climáticas, e o cenário em Júpiter mostra que algumas coisas estão diferentes por lá.

A imagem foi capturada no dia 25 de agosto e um dos destaques, como de costume, é a Grande Mancha Vermelha, que agora mede cerca de 15.772 km de diâmetro — isso é o suficiente para engolir a Terra. Essa mancha é, na verdade, uma tempestade colossal, que está diminuindo pelo menos desde 1930, sem que ninguém saiba explicar o por quê.

Imagem: Reprodução/NASA/ESA/A. Simon/M. H. Wong/OPAL team
Imagem: Reprodução/NASA/ESA/A. Simon/M. H. Wong/OPAL team

Outra mudança sutil aconteceu na mancha que fica logo abaixo da Grande Mancha Vermelha. Seu nome é Oval BA, mas também é conhecida como Mancha Vermelha Jr. Nos últimos anos, ela estava perdendo a coloração vermelha que apresentou em 2006, mas agora o núcleo dessa tempestade parece estar escurecendo, bem pouquinho. Talvez isso signifique um lento processo que levará o vermelho de volta a esta mancha desbotada.

Embora essas duas manchas sejam sempre o centro das atenções, há outro detalhe importante para os pesquisadores. É que, pouco acima da linha do equador, há uma nova tempestade branca e esticada viajando ao redor do planeta a cerca de 560 km/h. Ela veio à tona em 18 de agosto de 2020 e os astrônomos descobriram mais duas delas que apareceram mais tarde, na mesma latitude. É relativamente comum que novas tempestades se formem por ali a cada seis anos, mas a observação do Hubble foi muito oportuna, pois ocorreu bem a tempo de mostrar a sequência dos estágios iniciais da evolução dessa estrutura branca.

Atrás dessa pluma estão pequenos círculos nas cores vermelha, branca e azul, na imagem ultravioleta, visível e infravermelha próximo, respectivamente. Esse tipo de formação costuma desaparecer, deixando para trás apenas algumas mudanças nas cores das nuvens e na velocidade do vento. Logo à esquerda de Júpiter, está sua lua Europa.

De acordo com a NASA, a imagem parece indicar que Júpiter está passando por uma faxina, removendo suas nuvens brancas no hemisfério norte e, principalmente, ao longo do equador do planeta. A atmosfera dinâmica do gigante gasoso continuará sendo acompanhada, bem como a evolução das suas manchas vermelhas, e em breve novas atualizações serão compartilhadas pelos cientistas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: