Mercado fechado

HP segue à venda após rejeitar proposta de US$ 33,5 bilhões da Xerox

Fidel Forato

Após muitas especulações sobre um negócio que foi comemorado na Bolsa de Valores, a empresa de computadores e impressoras pessoais HP rejeitou a proposta de aquisição bilionária da fabricante de impressoras profissionais Xerox, apesar da pressão do investidor Carl Icahn apoiando a fusão.

A força da Xerox está nas impressoras para empresas, enquanto a HP tem foco mais forte no mercado doméstico. Por isso, Icahn enxergava boa sinergia entre as duas gigantes da tecnologia, que vivem de nichos do mercado. "Acho que uma combinação é fácil", afirmou em entrevista.

No domingo (17), o conselho de diretores da HP rejeitou por unanimidade a proposta de US$ 33,5 bilhões da Xerox, por considerá-la um valor que "subestima significativamente a HP" e, por isso, não é de interesse dos acionistas.

Xerox oferece proposta milionária pela HP, mas é rejeitadaCaption

O executivo-chefe da HP, Enrique Lores, e o presidente Chip Bergh alegaram à Xerox que estavam preocupados com saúde da empresa após a fusão. Segundo a dupla, há possibilidade de o acordo deixar a companhia em "níveis de endividamento excessivos".

Outro ponto levantado por Lores e Bergh foi o atual faturamento da empresa. Para os executivos, “observamos o declínio da receita da Xerox de US$ 10,2 bilhões para US$ 9,2 bilhões em 12 meses consecutivos, desde junho de 2018, o que levanta questões significativas sobre a trajetória de seus negócios e as perspectivas futuras."

No entanto, ele reconhecer "os possíveis benefícios" da consolidação, o que sugere que as possibilidades de um acordo entre duas empresas ainda pode ser uma realidade.

"Estamos abertos a explorar se há valor a ser criado para os acionistas da HP através de uma possível combinação com a Xerox", escreveram Lores e Bergh. O conselho considerou "crítico" explorar "sinergias alcançáveis" entre as empresas e aguarda a Xerox pensar em uma contraproposta para o negócio.

Entende a situação

Nesse momento, a Xerox está prestes a receber US$ 2,3 bilhões da Fujifilm, com quem fez um acordo para venda de ações e investimentos em empresas incipientes e para encerrar um processo no valor de US$ 1 bilhão que estava em andamento. Ou seja, há dinheiro em caixa e desejo em investir na marca.

Mesmo assim, com valor de mercado estipulado em US$ 27 bilhões, a HP vale cerca de três vezes o valor da Xerox. No entanto, empresa planejava pagar o valor em dinheiro, mas também em ações da empresa pós-fusão. Dessa forma, seria criado um sólido nome em um setor que apresenta quedas cada vez mais constantes em faturamento.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: