Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.960,91
    -84,88 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

HP prevê demissão de 6.000 funcionários até o final de 2025

HP prevê demissão de 6.000 funcionários até o final de 2025 (Foto: Getty Images)
HP prevê demissão de 6.000 funcionários até o final de 2025 (Foto: Getty Images)
  • O acumulado das demissões no período representa cerca de 12% do total de funcionários da HP;

  • A previsão de desligamentos leva em consideração a queda nas vendas de computadores pessoais e laptops;

  • A HP estima que gastará cerca de R$ 5,5 bilhões em custos trabalhistas e não trabalhistas relacionados à reestruturação.

Cerca de 6 mil funcionários perderão seus empregos na HP até o final do ano fiscal de 2025, de acordo com declarações da empresa nesta terça-feira (23). O acumulado das demissões no período representa cerca de 12% da atual força de trabalho global da companhia.

A previsão de desligamentos leva em consideração a queda nas vendas de computadores pessoais e laptops à medida que compradores apertam os orçamentos.

A HP estima que gastará cerca de US$ 1 bilhão (R$ 5,5 bilhões) em custos trabalhistas e não trabalhistas relacionados à reestruturação e outros encargos, com quase US$ 600 milhões (R$ 3,2 bilhões) no ano fiscal de 2023 e o restante dividido entre os dois anos seguintes. A empresa, que emprega quase 50.000 pessoas, disse que espera reduzir o número de funcionários entre 4.000 e 6.000.

A fabricante de PCs também previu um lucro menor do que o esperado para o primeiro trimestre, uma vez que espera uma queda na demanda do consumidor e comercial.

“Muitos dos desafios recentes que vimos no FY'22 provavelmente continuarão no FY'23”, disse a diretora financeira Marie Myers durante uma teleconferência pós-lançamento.

A reestruturação ocorre em um momento em que a maioria das empresas, incluindo a Amazon , a Meta Platforms, controladora do Facebook, e a Cisco Systems estão fazendo cortes profundos em sua base de funcionários para enfrentar uma possível desaceleração da economia.

As vendas de PCs encolheram desde as alturas atingidas durante a pandemia, à medida que famílias e empresas reduzem os gastos diante da alta inflação de décadas, pressionando empresas como HP e Dell Technologies.

Na segunda-feira, a Dell reportou uma queda de 6% na receita do terceiro trimestre. O diretor financeiro da empresa, Tom Sweet, disse que os fatores macroeconômicos em andamento, incluindo inflação e aumento das taxas de juros, pesarão sobre os clientes no próximo ano.