Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.375,25
    -1.185,58 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.728,87
    -597,81 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,20
    +4,75 (+5,37%)
     
  • OURO

    1.701,80
    -19,00 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    19.572,48
    -439,37 (-2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,50
    -9,53 (-2,09%)
     
  • S&P500

    3.639,66
    -104,86 (-2,80%)
     
  • DOW JONES

    29.296,79
    -630,15 (-2,11%)
     
  • FTSE

    6.991,09
    -6,18 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.096,25
    -445,50 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0768
    -0,0367 (-0,72%)
     

Hotéis em SP retomam cenário pré-pandemia com evento corporativo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois do impacto da pandemia, a taxa de ocupação da rede de hotéis em São Paulo já se aproxima de 2019, puxada por eventos corporativos.

O dado mais recente da Abih-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do estado) que abrange julho, aponta ocupação geral acima de 60% no estado.

O patamar ainda é 1% inferior ao ano anterior à pandemia, mas a entidade afirma que os dados de agosto seguirão tendência de alta. A última queda registrada no setor em São Paulo aconteceu em janeiro e, desde então, a evolução do indicador mensal está positiva.

Mais de 50% dos estabelecimentos declararam reservas de perfil corporativo.

O custo médio da diária, de R$ 338, também é o mais alto da série histórica, iniciada em 2019. Na capital paulista ficou em R$ 390.