Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,78
    +0,17 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.846,70
    -4,20 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    32.281,59
    -62,51 (-0,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,39
    +4,07 (+0,63%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.710,38
    +164,20 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    13.554,00
    +68,50 (+0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5126
    +0,0018 (+0,03%)
     

Hospital russo diz ter iniciado vacinação anticoronavírus de civis na semana passada

·1 minuto de leitura
Frascos com a vacina russa Sputnik V fotografados em uma clínica em Tver

MOSCOU (Reuters) - A Rússia entregou o primeiro lote conhecido de vacinas contra coronavírus Sputnik V para uso civil a um hospital no sul de Moscou, que disse nesta segunda-feira que começou a vacinar a população local na semana passada.

O país, que corre para acompanhar farmacêuticas ocidentais na busca por uma vacina contra coronavírus, disse que resultados provisórios de testes mostram que a Sputnik V tem 92% de eficácia na proteção das pessoas contra a Covid-19.

O Hospital Municipal Central de Domodedovo disse em seu site que moradores que quiserem se vacinar têm que se registrar com antecedência em um site do governo e levar consigo um resultado de exame negativo de Covid-19, além de documentos de identidade, no dia da inoculação.

Os casos de coronavírus dispararam na Rússia a partir de setembro, mas as autoridades resistem à adoção de um lockdown rígido e dizem que medidas específicas bastam para lidar com a crise.

Autoridades confirmaram 26.338 casos novos de coronavírus nesta segunda-feira, sendo 6.511 em Moscou e 3.691 em São Petersburgo, o que eleva o total nacional a 2.295.654 desde que a pandemia começou.

Elas também relataram 368 mortes nas últimas 24 horas, o que eleva o total oficial de fatalidades a 39.895.

(Por Anton Zverev; reportagem adicional de Polina Nikolskaya)