Mercado fechará em 2 h 24 min

Hospital de Bonsucesso: após incêndio, parentes enfrentam a angústia de não saber para onde pacientes foram transferidos

Pedro Zuazo
·2 minuto de leitura
Rita Segtovich na porta do HFB: 30 horas para descobrir o paradeiro do pai
Rita Segtovich na porta do HFB: 30 horas para descobrir o paradeiro do pai

“Eu até entendo a dificuldade. Nosso sistema de saúde é bastante precário mesmo. Mas é preciso tomar alguma providência em relação à coordenação dessas transferências”. O desabafo é de uma filha que passou cerca de 30 horas sem saber para onde o pai, de 93 anos, havia sido levado. Ciro Amorim Segtovich estava internado no terceiro andar do prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), atingido por um incêndio terça-feira (27). A família foi informada de que o idoso teria sido removido às pressas para o Hospital estadual Anchieta, no Caju. No entanto, o paciente nunca deu entrada na unidade.

— Ontem (terça-feira), por volta das 16h, fui informada no Hospital de Bonsucesso de que ele havia sido transferido para o Hospital Anchieta. Fui para o Caju e consegui confirmar que existe uma vaga reservada no nome dele no CTI, mas até as 22h30 (de terça-feira) ele não tinha chegado — contou Rita Segtovich, filha de Ciro.

Somente no início da noite desta quarta-feira (28), após o drama ser contado no site do EXTRA, a filha descobriu que Ciro, na verdade, havia sido levado para o Hospital de Campanha do Riocentro, da prefeitura, na Zona Oeste.

— Vou agora lá (no Riocentro) ver como ele está. Estou preocupada, mas esperançosa. De fato, fizemos uma peregrinação atrás do meu pai.

Em nota, a direção do HFB admitiu o erro e se desculpou: “Lamentavelmente, houve um erro de informação por parte desta unidade hospitalar ao familiar, sobre a transferência do paciente Ciro Amorim”.

O caso de Rita não foi o único. Nesta quarta-feira, 24 horas depois do incêndio, ainda havia parentes de pacientes na porta do HFB em busca de informações. O RJTV, da Rede Globo, mostrou uma mãe que passou a madrugada na porta do Hospital Federal de Bonsucesso atrás de informações sobre o filho de apenas 1 mês, que estava internado na UTI neonatal. Depois de horas sem notícias, ela descobriu que o bebê havia sido transferido para outra cidade: ele está no Hospital Universitário Antonio Pedro, em Niterói.