Mercado fechará em 2 h 30 min
  • BOVESPA

    111.451,69
    -2.361,18 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.544,03
    -185,77 (-0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,29
    +0,79 (+0,87%)
     
  • OURO

    1.763,30
    -7,90 (-0,45%)
     
  • BTC-USD

    21.508,51
    -1.892,81 (-8,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    511,66
    -29,94 (-5,53%)
     
  • S&P500

    4.232,16
    -51,58 (-1,20%)
     
  • DOW JONES

    33.765,62
    -233,42 (-0,69%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,77 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.276,50
    -246,75 (-1,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2097
    -0,0041 (-0,08%)
     

Horizonte Minerals fecha contratos de US$135 mi para projeto de níquel no Pará

Instalação de bateria em fábrica de automóveis. Níquel é um dos principais componentes para a produção de baterias.

Por Rafaella Barros

(Reuters) - A mineradora britânica Horizonte Minerals anunciou nesta quinta-feira o fechamento de contratos que somam 135 milhões de dólares com fornecedores de equipamentos para o Projeto Araguaia, no Pará, enquanto a companhia avança com o empreendimento para tirar proveito de um mercado impulsionado pelo setor de baterias.

A construção na cidade de Conceição do Araguaia, que começou em maio, está em fase de terraplanagem. A expectativa da empresa é que os equipamentos, que serão produzidos no exterior, comecem a chegar ao Pará em outubro, para que o projeto possa iniciar a produção em 2024.

"Os principais equipamentos já estão contratados, para que a gente tenha a primeira produção para o fim do primeiro trimestre de 2024, conforme previsto no cronograma", disse o diretor de finanças da companhia, Tiago Miranda, em entrevista à Reuters.

O Araguaia produzirá ferroníquel para abastecer o mercado de aço inox. Da sua extração virá também o níquel, cuja principal destinação será o mercado de baterias.

A mina, que tem vida útil inicial prevista para 28 anos, produzirá até 14.500 toneladas por ano de níquel. Esse volume pode chegar a 29.000 toneladas, segundo a empresa, com a entrada em operação da linha 2, prevista para 2027.

A título de comparação, a Vale, uma das gigantes globais do setor, projeta produzir até 190 mil toneladas de níquel em 2022, em todas as suas operações.

"Temos alguns estudos da Universidade Mackenzie que mostram a atual demanda mundial de níquel de 2,6 milhões toneladas/ano chegando a 4,2 milhões de toneladas em 2040. E a oferta não acompanhando essa demanda. O projeto entra no mercado em um momento em que o mundo pede níquel", disse Miranda.

A cifra de 135 milhões de dólares dos contratos com empresas fornecedoras de equipamentos representa cerca de 27% de todo o investimento previsto para o projeto, de 500 milhões de dólares.

Considerando-se os outros contratos já fechados --de itens como insumos e serviços-- os investimentos acertados até agora chegam a quase 59% do total.

"Os contratos já totalizam 293 milhões de dólares, devidamente previstos em orçamento, e significam continuidade e impulso positivo na construção no Projeto Araguaia", disse o CEO da Horizonte Minerals, Jeremy Martin, em nota.

Entre esses equipamentos estão, por exemplo, fornos e rotativos da dinamarquesa FLSmidth, equipamentos para britagem da finlandesa Metso Outotec, entre outros.

No final do ano passado, a Horizonte obteve um pacote de financiamento no valor de 633 milhões de dólares para desenvolver o Araguaia.

O capex do projeto é estimado em 500 milhões de dólares para a construção da linha 1, e o planejamento é usar os fundos adicionais para capital de giro e financiar a linha 2.

(Por Rafaella Barros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos