Mercado fechará em 5 h 10 min

Homenagem: 7 das melhores pornochanchadas do cinema para você assistir

Sihan Felix
·5 minutos de leitura

No dia 6 de setembro é comemorado o Dia do Sexo. A escolha da data é uma brincadeira numérica, mas vamos falar de algo mais sério: pornochanchadas. Então, para comemorar o dia 6/9, o Canaltech listou sete bons filmes desse gênero. Vale uma introdução:

Em uma época na qual o Brasil ansiava por liberdade, um movimento – uma expressão, na verdade – surgiu em nosso país nesse gênero. Sendo um produto tipicamente brasileiro, a pornochanchada é uma derivação da chanchada, gênero no qual predomina um humor ingênuo e de caráter popular.

Enquanto as chanchadas foram populares entre as décadas de 1930 e 1960 e revelaram nomes como Emilinha Borba, Oscarito e Grande Otelo, as pornochanchadas vieram na sequência, sendo predominantes nas décadas de 1960 e 1970 e trazendo nomes como Vera Fischer, Otávio Augusto e até mesmo a cultuada Sônia Braga. Com os roteiros enfatizando situações eróticas, malícia, ironias com o dia a dia e com diretores dando uma certa “prioridade anatômica”, essa expressão do nosso cinema tinha a faca e o queijo na mão – e outras coisas mais.

Mas vamos à lista das sete melhores pornochancadas para você assistir neste dia 6/9:

7. O Bom Marido

Um casal precisa fechar negócios estrangeiros para conseguir dinheiro. Para isso, o método mais certeiro que encontram é... claro: sexo. Acontece que O Bom Marido é uma comédia com tom investigativo e de fuga que pode ser bem divertida caso seja possível relevar alguns pontos.

6. Como é Boa Nossa Empregada

Com Pedro Paulo Rangel (de O Coronel e o Lobisomem), trata-se de um filme repartido em três episódios que faz uma crítica sarcástica à alta sociedade carioca dos anos 1970. Nesses capítulos, são expostas relações de carinho e, digamos, “calor” entre empregadores e domésticas. Em resumo, o primeiro episódio traz a história de um adolescente sem experiência sexual que paquera a copeira de sua casa; o segundo trata de um jovem estudante, também inexperiente, que é obcecado por empregadas domésticas e paquera todas que conhece, preocupando a mãe que contrata um psicólogo; já o terceiro é um pouco mais complexo: Um corretor de ações e marido com discurso moralista acaba marcando um encontro clandestino, mas a esposa aparece. Pedindo ajuda, o homem não esperava que seu amigo acabaria se confundindo com sua esposa...

5. Das Tripas Coração

Protagonizado por um quarteto poderoso (Antônio Fagundes, Dina Sfat, Ney Latorraca e Christiane Torloni), Das Tripas Coração ainda conta com Othon Bastos. Na história, o governo é forçado a interferir em uma escola religiosa após problemas administrativos acontecerem. Esperando na sala de conferências para comunicar sobre essa interferência aos responsáveis pela escola, o interventor adormece e acaba tendo sonhos bem... diferentes.

4. Nos Tempos da Vaselina

Obviamente pegando embalo em Grease: Nos Tempos da Brilhantina, musical lançado um ano antes, Nos Tempos da Vaselina também traz uma história envolvendo dança, discoteca e tudo o que esse mundo carrega. Mas trata-se de uma comédia que parece denunciar o preconceito que sofrem pessoas do interior quando chegam à capital. Mas Onofre, o protagonista, sabe dar a volta “por cima”.

3. Rio Babilônia

Um dos filmes narrativamente mais complexos da pornochanchada, Rio Babilônia acompanha um homem que é convidado para orientar um milionário estrangeiro em sua passagem pelo Rio de Janeiro. Durante esse trabalho, em meio a confrontos com a polícia, encontros com traficantes e estrelas de cinema, corrupção e assassinato, ele se envolve em festas orgíacas e ménage à trois. Um clássico.

2. Os Bons Tempos Voltaram, Vamos Gozar Outra Vez

O filme tem já no título um duplo sentido irônico. Lançado no ano em que terminaria a ditadura no Brasil, o filme traz a estelar da época Carla Camurati em duas histórias: a primeira se passa no Rio de Janeiro na década de 1950 e a segunda coloca o dedo... na ferida, ocorrendo durante o Golpe de 1964. Um filme sem medo, dirigido por Ivan Cardoso (eternizado no recente documentário Ivan, O TerrirVel – de Mario Abbade) e John Herbert.

1. As Cangaceiras Eróticas

Quando o padre é morto por bandidos, Helena – uma de suas alunas em um colégio interno – reúne suas amigas e formam uma gangue vingativa. Juntas, elas partem para a captura dos assassinos do amado professor. E a vingança vem por meio do sexo, claro. As Cangaceiras Eróticas é uma das pornochanchadas mais conhecidas e inusitadas do repertório. Helena Ramos está maravilhosa no filme e a direção é de uma das lendas da pornochanchada: Roberto Mauro.

Imagem: Reprodução/Transbrasil
Imagem: Reprodução/Transbrasil

Menção Especial: Os Sete Gatinhos

Baseado em uma peça teatral homônima escrita por Nelson Rodrigues, Os Sete Gatinhos é escrito e dirigido por Neville de Almeida, diretor também de A Dama do Lotação e do listado Rio Babilônia. Conta com Antônio Fagundes, Ana Maria Magalhães e Ary Fontoura no elenco, mas acabou se tornando célebre especialmente por uma cena protagonizada por Lima Duarte: "Quem foi que desenhou caralhin*** voadores na parede do banheiro?"

Por enquanto é isso. A pornochanchada teve seu declínio antes dos anos 1990, findando junto a uma crise econômica que atingiu o Brasil e que afetou os cinemas, reduzindo drasticamente seu público. Mas a lista poderia ser maior. Você consegue lembrar de alguns filmes interessantes dentro desse gênero brasileiro? Diz pra gente nos comentários!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: