Mercado abrirá em 9 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,52
    +0,25 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.868,00
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    44.768,95
    +1.888,01 (+4,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.236,64
    +38,73 (+3,23%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.561,00
    +366,91 (+1,30%)
     
  • NIKKEI

    28.473,97
    +649,14 (+2,33%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    +51,75 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4176
    +0,0077 (+0,12%)
     

Homem que matou 8 em FedEx de Indianápolis era ex-funcionário, diz polícia

Maria Caspani e Mark Hosenball
·2 minuto de leitura
Autoridades em local de ataque a tiros em Indianápolis, nos EUA

Por Maria Caspani e Mark Hosenball

(Reuters) - O atirador de 19 anos que abriu fogo em uma instalação da FedEx em Indianápolis, nos Estados Unidos, matando oito trabalhadores antes de tirar a própria vida, era um ex-funcionário com um histórico de doença mental que chegou a ser detido no ano passado, disseram autoridades da polícia e do FBI nesta sexta-feira.

O incidente --o mais recente em uma série de pelo menos sete tiroteios mortais nos EUA no último mês-- aconteceu em um centro de operações da FedEx perto do Aeroporto Internacional de Indianápolis, em Indiana, depois das 23h de quinta-feira (horário local), segundo a polícia.

O ataque durou apenas alguns minutos e acabou quando a polícia chegou ao local, disse Craig McCartt, subchefe do departamento de polícia de Indianápolis, em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira.

Testemunhas descreveram um ataque caótico. O atirador abriu fogo com um fuzil no estacionamento antes de entrar na instalação e continuar a atirar, deixando vítimas dentro e fora do prédio. Os policiais encontraram o suspeito morto por um aparente ferimento a bala que ele mesmo disparou.

Uma porta-voz da FedEx e a polícia identificaram o atirador como Brandon Hole, um ex-funcionário da empresa. McCartt, da polícia, disse a repórteres que acredita-se que o suspeito tenha trabalhado na localidade pela última vez em outono de 2020.

Questionado sobre o que teria o levado de volta às instalações na noite de quinta-feira, McCartt respondeu: "Eu gostaria de poder responder a isso."

O FBI disse em um comunicado que o suspeito havia sido colocado sob prisão temporária de saúde mental pela polícia de Indianápolis em março de 2020, depois que sua mãe contatou a polícia para relatar que ele poderia tentar cometer "suicídio por policial", quando um indivíduo suicida se comporta deliberadamente de maneira ameaçadora, com a intenção de provocar uma resposta letal da polícia.

(Reportagem de Maria Caspani, em Nova York; Shubham Kalia e Kanishka Singh, em Bengaluru; e Mark Hosenball, em Washington)