Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,79
    -0,78 (-1,97%)
     
  • OURO

    1.907,30
    -4,60 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    13.658,38
    -22,37 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.533,25
    -54,75 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Homem que escalou janela para se despedir de mãe com Covid roubou corpo para 'enterro digno'

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Jihad Al Suwaiti escalou até a janela de onde podia ver sua mãe internada com Covid (Foto: Reprodução/Twitter)
Jihad Al Suwaiti escalou até a janela de onde podia ver sua mãe internada com Covid (Foto: Reprodução/Twitter)

O palestino Jihad Al Suwaiti ficou conhecido mundialmente após viralizar, em junho deste ano, uma imagem dele sentado no parapeito da janela de um hospital na Cisjordânia para ver sua mãe, internada com Covid-19.

Após a morte de Rasmiye Al Suwaiti, aos 73 anos em julho, Jihad e seus irmãos decidiram montar uma mega-operação para roubar o corpo dela do hospital. A decisão aconteceu quando a família soube que o corpo da mãe não seria entregue e sepultada da forma como ela desejava. As informações são do site NBCNews.

Jihad uniu seus irmãos, sobrinhos e amigos e, em sete carros diferentes, perseguiram e distraíram os motoristas das ambulâncias durante o roubo do corpo. Na fuga, os diferentes carros envolvidos confundiram os motoristas, que não souberam identificar em qual veículo o corpo de Rasmiye Al-Suwaiti estava.

Leia também

A família levou o corpo de volta para Beit Awwa, no sul da Cisjordânia. “Eu a segurei com minhas próprias mãos, cavei sua sepultura e a enterrei do jeito que ela me pediu”, disse ele.

A mãe de Jihad foi diagnosticada com Covid-19 e morreu em julho. (Foto: Jam Press)
A mãe de Jihad foi diagnosticada com Covid-19 e morreu em julho. (Foto: Jam Press)

Tarek al Barbarawi, diretor do hospital Alia em Hebron, onde Rasmiye estava sendo tratada, confirmou à NBC News que o corpo foi roubado porque seus filhos não queriam que ele fosse embrulhado em plástico.

De acordo com a tradição muçulmana, o rito de sepultamento tem de ser feito o mais rápido possível e envolvendo o corpo do ente em uma mortalha de tecido branco. “Ela disse: ‘Se eu morrer por causa desta doença, não me enterre em um saco plástico!’”, relembra Jihad.

No entanto, com a pandemia do novo coronavírus, novos decretos foram assinados com determinações de enterro e sepultamento diferentes, respeitando regras sanitárias, de acordo com o xeque Muhammad Hussein, Grande Mufti de Jerusalém e Territórios Palestino.

“Esta é uma regra de necessidade e as necessidades permitem proibições, portanto, o falecido não é lavado, nem coberto e é enterrado em um saco plástico”, disse Hussein à agência Reuters.