Mercado abrirá em 2 h 23 min
  • BOVESPA

    113.430,54
    +1.157,53 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.564,27
    +42,84 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,05
    +0,18 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.940,10
    -5,20 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    23.021,04
    +105,77 (+0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,33
    +5,54 (+1,07%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +58,83 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    34.086,04
    +368,95 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.782,47
    +10,77 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    22.072,18
    +229,85 (+1,05%)
     
  • NIKKEI

    27.346,88
    +19,77 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.134,50
    -17,50 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5249
    +0,0093 (+0,17%)
     

Homem pede perdão ao vivo na TV por minerar bitcoin: “Sou um pecador”

Homem pede perdão por minerar bitcoin
Homem pede perdão por minerar bitcoin

Um ex-funcionário do Partido Comunista da China aproveitou sua autoridade para usar 10% de toda energia da cidade de Fucheu para minerar Bitcoin entre 2017 e 2020. No entanto, mostrou-se arrependido de seus atos em uma entrevista para a mídia local neste domingo (8).

Na verdade, Xiao Yi não era um minerador, mas sim ajudava empresas a driblarem inspeções de outras autoridades. Como exemplo, auxiliava mineradoras a se passarem por empresas de computação em nuvem ou big data, a fim de mascarar o verdadeiro uso da eletricidade, já que a mineração de criptomoedas é ilegal no país.

Tendo a China passado por uma grande crise energética em 2021, outro ponto que chama atenção é o tamanho da cidade em questão. Segundo a Wikipédia, Fucheu possui 7,7 milhões de habitantes, o que nos dá uma maior dimensão do esquema de Yi.

O esquema de mineração de Bitcoin do ex-funcionário do Partido Comunista

No total, a Jiumu Group Genesis Technology, empresa apoiada por Xiao Yi, possuía 160.000 equipamentos de mineração. Embora os modelos não tenham sido revelados, estima-se que seu consumo representasse 10% de toda energia da cidade de Fucheu.

Além de mascarar o motivo do consumo energético, o ex-membro do Partido Comunista da China também ajudou a empresa a arrecadar dinheiro do próprio governo, chegando a uma soma de 2,4 bilhões de yuans (R$ 1,86 bilhão) em empréstimos.

Em troca de seus serviços, Xiao Yi não recebeu apenas dinheiro, mas também sexo, bem como aproveitou de todo seu poder para oferecer promoções a pessoas próximas a ele.

No entanto, mesmo durando três anos, seu esquema foi finalizado após ser descoberto por uma investigação governamental. Segundo declaração de novembro de 2021, Yi foi acusado de violar políticas industriais do país, mas o texto não entrava em muitos detalhes.

Chinês pede desculpa

Aparecendo em uma reportagem da Televisão Central da China (CCTV) neste domingo (8), Xiao Yi mostrou-se arrependido de seus atos, como se buscasse por algum tipo de perdão.

“Sou um pecador para o povo de Fucheu e falhei com eles. Devido à minha visão distorcida das conquistas políticas, agi de forma imprudente, causando perdas graves.”

Dado que Yi ocupava um grande cargo no Partido Comunista da China, sua aparição é uma óbvia mensagem para outros funcionários. Ou seja, esta é mais uma clara demonstração de poder do Estado.

Quanto a mineração na China, algumas fontes indicam que o país ainda é um dos maiores produtos de Bitcoin do mundo, apesar do banimento completo da atividade em 2021.

Portanto, é possível que existam mais oficiais corruptos como Xiao Yi. Afinal, a atividade consome tanta energia — e é tão barulhenta — que é difícil passar despercebida por autoridades.

Fonte: Livecoins

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.