Mercado abrirá em 25 mins
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,38
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.859,70
    +3,30 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    39.023,13
    -1.021,79 (-2,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    967,49
    -43,11 (-4,27%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.175,53
    +3,05 (+0,04%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    14.046,25
    +16,00 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1191
    +0,0012 (+0,02%)
     

Com pandemia, homem mora de graça e sozinho em hotel de luxo há 14 meses

·1 minuto de leitura
O hotel cinco estrelas Chatwal, em Nova York, onde Robert Mallia mora sozinho (Divulgação)
O hotel cinco estrelas Chatwal, em Nova York, onde Robert Mallia mora sozinho (Divulgação)
  • Com pandemia, homem solteiro conseguiu morar de graça em hotel luxuoso nos Estados Unidos

  • São 14 meses morando sozinho e cuidando do local, inclusive da limpeza

  • Os prédios estão fechados e os bombeiros exigem que pelo menos uma pessoa fique nas propriedades caso surja problemas

Robert Mallia, um designer solteiro de 36 anos, conseguiu morar de graça e sozinho no hotel de luxo Chatwal, em Nova York, e está lá há 14 meses. Tudo isso aconteceu devido à pandemia da covid-19, quando a cidade entrou em bloqueio e donos de propriedades foram obrigados a deixar uma pessoa tomando conta do local, caso houvesse problemas. Sem filhos, Mallia não pensou duas vezes e se voluntariou. As informações são da Istoé Dinheiro.

Leia também:

Como funciona

Apesar do aparente glamour de viver sozinho em um lugar com 76 quartos, ele precisa limpar a própria sujeira e vive principalmente de comida de delivery, já que os 59 funcionários do hotel não podem trabalhar. Os únicos que aparecem no local são os seguranças - que trabalham em esquema de rodízio - e o engenheiro-chefe, que precisa ir semanalmente verificar se o código de incêndio é cumprido.

Assim, Mallia acorda às 5h30 para fazer procurar vazamentos ou outros problemas de manutenção. Semanalmente, ele sai pelo hotel dando descarga em todos os banheiros do prédio e liga todos os chuveiros e pias do lugar durante 10 minutos.

Entretanto, essa função pode ter seus dias contados, devido ao relaxamento dos protocolos e avanço da vacinação nos Estados Unidos. Assim como outros hotéis já abriram as portas em maio, o Chatwal, atual casa de Mallia, também deve reabrir.