Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.012,58
    -250,21 (-1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Homem mais rico da Ásia aposta bilhões em transmissão digital de críquete

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Homem mais rico da Ásia está apostando bilhões na transmissão digital da principal liga de críquete. Foto: REUTERS/Francis Mascarenhas.
Homem mais rico da Ásia está apostando bilhões na transmissão digital da principal liga de críquete. Foto: REUTERS/Francis Mascarenhas.
  • A Viacom18, empreendimento apoiado por Ambani, garantiu os direitos digitais para transmitir a Indian Premier League;

  • A joint venture conseguiu os direitos de transmissão digital da liga por volta de US$ 3,05 bilhões;

  • A Star India, da Walt Disney Co., reteve os direitos de transmissão via TV por cerca de US$ 3,02 bilhões.

A partir de agora, o homem mais rico da Ásia, o empresário indiano Mukesh Ambani, tem um grande acordo de críquete para agregar ao seu império bilionário.

A Viacom18, uma joint venture entre a Reliance Industries Ltd., de Ambani, e a companhia de mídia norte-americana Paramount Global, abriu mão dos direitos de transmissão via TV da principal liga de críquete da Índia, a Indian Premier League (IPL), para focar no ganho dos direitos de transmissão digital. Os dois acordos têm duração até 2027.

Leia também:

O grupo aposta que a receita em publicidade será quatro vezes maior do que a da TV em cinco anos. Segundo uma pessoa familiar com a união, que não quis se identificar para a Bloomberg, imaginava-se que a televisão teria dificuldades em arrecadar grandes faturamentos.

A joint venture manteve os direitos de transmissão da liga por volta de US$ 3,05 bilhões, cerca de R$ 15,7 bilhões na cotação atual. A informação foi divulgada na última terça-feira (14) pelo secretário do Conselho de Controle de Críquete na Índia, Jay Shah.

Em contrapartida, a Star India, da Walt Disney Co., garantiu os direitos de transmissão pela TV por cerca de US$ 3,02 bilhões, o equivalente a R$ 15,6 bilhões.

A escolha da Reliance em abrir mão dos direitos televisivos economizou bilhões de dólares ao conglomerado, que pode usar esses fundos para aumentar suas chances no próximo leilão envolvendo o 5G na Índia.

*Com informações da Bloomberg.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos