Mercado abrirá em 6 h 9 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,52
    +1,02 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.753,40
    +24,60 (+1,42%)
     
  • BTC-USD

    45.844,68
    +969,94 (+2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    915,50
    -17,64 (-1,89%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    29.372,40
    +392,19 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.062,50
    +151,50 (+1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7610
    +0,0027 (+0,04%)
     

Homem fica “preso” em filtro de gato durante audiência judicial no Zoom

Claudio Yuge
·1 minuto de leitura

Os filtros de redes sociais e mensageiros podem ser bem divertidos, ainda mais com os recentes avanços de reconhecimento facial e inteligência artificial, que conseguem oferecer opções muito fieis aos nossos movimentos e expressões. Contudo, nem mesmo o mais sonhador programador um dia imaginou que sua opção de gatinho fosse usada em uma séria audiência judicial.

Foi exatamente o que aconteceu em um processo do 394º Tribunal do Distrito Judicial de Brewster, no Texas. Em uma sessão presidida pelo juiz Roy Ferguson, que divulgou a cena hilária no Twitter, o homem, identificado como Rod Ponton, falava com duas pessoas, aparentemente advogados, quando sua imagem ficou “presa” no filtro de um gatinho.

Tudo ficou ainda mais engraçado quando Ponton disse “estou aqui ao vivo, não é um gato”, enquanto Ferguson, meio incrédulo, respondeu “é… posso ver isso”. E a expressão de “coitadinho” do felino digital deixou a situação hilária, em meio à busca pelas configurações para interromper o filtro. Veja e ria um pouco conosco:

Vale lembrar que gafes envolvendo videoconferências aumentaram bastante no ano passado, especialmente porque todo mundo passou a se comunicar nessas plataformas por causa do distanciamento social na pandemia. Como esquecer o caso do ministro do Paquistão também usando filtro de gatinho e um vereador do interior paulista cheirando calcinha durante reuniões?

E aqui vai uma dica que o próprio juiz Ferguson postou no Twitter: “Se uma criança usou seu computador, antes de entrar em uma audiência virtual, verifique as opções de vídeo do Zoom para ter certeza de que os filtros estão desligados”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: