Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.950,01
    +185,75 (+0,16%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.632,90
    -220,47 (-0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,95
    -3,14 (-3,41%)
     
  • OURO

    1.794,70
    -20,80 (-1,15%)
     
  • BTC-USD

    24.014,81
    -270,26 (-1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,34
    -20,42 (-3,46%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.679,50
    +101,75 (+0,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1737
    -0,0298 (-0,57%)
     

Homem com paralisia usa robô para comer bolo sozinho após 30 anos

Robô ajuda a comer bolo: resultados do experimento foram publicados na revista Frontiers in Neurorobotics. (Getty Images)
Robô ajuda a comer bolo: resultados do experimento foram publicados na revista Frontiers in Neurorobotics. (Getty Images)
  • Homem com paralisia come, pela primeira vez em 30 anos, pedaço de bolo sem ajuda de outra pessoa;

  • Feito foi possível graças a um par de braços robóticos que traduziram os comandos de seu cérebro;

  • Robô usou garfo e faca para cortar a fatia de bolo e levá-la até a boca do paciente.

Um homem com paralisia parcial na parte superior do corpo conseguiu comer, pela primeira vez em 30 anos, um pedaço de bolo sem a ajuda de outra pessoa. O feito foi possível graças a um par de braços robóticos que traduzem os comandos do cérebro do paciente para realizar ações.

Para que o robô funcionasse, foi necessário conectar eletrodos no cérebro do homem e, conforme ele ia manifestando o que queria, os punhos de seu ajudante iam se movendo. O robô também confirmava, em voz alta, cada função realizada, como: “cortar comida”, “selecionar o local da comida”, “mover faca”, e assim por diante. Veja abaixo no vídeo:

O experimento foi liderado pelos pesquisadores de diversos departamentos da Universidade Johns Hopkins e pelo Instituto Nacional de Saúde Mental, ambos nos Estados Unidos. “Para que os robôs executem tarefas semelhantes às humanas junto com pessoas com funcionalidade reduzida, eles precisarão de destreza semelhante à humana. A destreza semelhante à humana requer o controle complexo de um esqueleto de robô complexo”, explica David Handelman, primeiro autor do estudo.

A ideia, segundo ele, é permitir que pessoas com deficiência – como no caso do participante, que não conseguia mexer os dedos – possam executar, com facilidade, tarefas simples como cortar um pedaço de bolo.

Segundo o Dr. Pablo Celnik, principal pesquisador do projeto, a tecnologia ainda precisa de muitos ajustes antes de ser usada em outros pacientes, mas que já é possível perceber o grande potencial que possui.

Mais para frente, os cientistas podem até mesmo revisitar pesquisas anteriores sobre amputados que foram capazes de controlar próteses usando um “membro fantasma”. De uma forma ou de outra, o objetivo final, de acordo com o Dr. Celnik, é “ir além das atividades básicas da vida diária” e dar mais passos rumo a tarefas mais complexas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos