Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,71
    -0,47 (-0,71%)
     
  • OURO

    1.783,10
    +6,60 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    57.147,23
    -71,52 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.442,71
    -26,37 (-1,79%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.168,68
    +109,23 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    15.858,75
    -291,75 (-1,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4464
    +0,0764 (+1,20%)
     

Homem é preso após arrastão com arma falsa no centro de SP

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O autônomo Jonata Alberto da Silva, 30 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira (20) por suspeita de roubar motoristas e passageiros que trafegavam pela avenida do Estado, na altura do Mercado Municipal, no Bom Retiro (região central da capital paulista).

Segundo o boletim de ocorrência, Silva confessou que tentou roubar uma vítima com uso de um simulacro (arma de brinquedo), mas negou ter praticado o crime com outras pessoas. Mas, segundo a polícia, um outro suspeito conseguiu fugir com objetos roubados de motoristas.

Entre os itens roubados, de acordo com o boletim de ocorrência, estão um relógio de pulso, avaliado pela vítima em R$ 700, dois aparelhos celulares e um cartão bancário. Os objetos não foram recuperados. O caso foi registrado pelo 8° DP (Brás).

A reportagem procurou a defesa de Jonata Alberto da Silva. Por email, o advogado Bruno Leandro Dias afirmou que "ele confessou que tentou roubar apenas uma das vítimas. Porém, sem êxito, pois foi imediatamente abordado pelo policial a paisana".

A prisão ocorreu por volta das 7h, quando um policial militar aposentado, de 51 anos, trafegava com seu veículo pela via, e, no cruzamento da avenida do Estado com rua Mercúrio, o trânsito parou. Nesse momento, o homem avistou Silva com uma arma em uma das mãos batendo no vidro de um automóvel parado. A vítima abaixou o vidro e entregou algo para o suspeito.

Ao ver a cena, o PM aposentado desceu de seu veículo e se identificou como policial. Segundo a versão relatada ao delegado Leonardo Arquimimo de Carvalho, Silva não reagiu, soltou a arma, deitou no chão e disse: "perdi, perdi". Nesse instante, foi identificado que a arma que Silva portava era de brinquedo.

O objeto que Silva teria tomado era uma aliança. Recuperada, ela foi devolvida para a vítima pelo PM ainda no local.

Na delegacia, o PM também contou que, cerca de dois minutos depois da prisão, outras duas pessoas apareceram no local afirmando terem sido assaltadas por Silva, que estaria na presença de uma outra pessoa quando do ataque.

Uma das vítimas, um ajudante de motorista de 47 anos, que retornou ao local logo após Silva ser detido, relatou em depoimento que estava com uma amiga no carro quando foram abordadas pelo suspeito. Ele teria pedido a aliança da mulher, mas ela não portava nenhum objeto semelhante. Nesse momento, surgiu um novo suspeito que, também armado, exigiu objetos do casal, levando um celular de cada um, um cartão bancário da mulher e um relógio do ajudante.

Na sequência, Silva teria partido para outro carro, momento em que foi preso pelo policial militar aposentado. O ajudante de motorista afirmou ter visto a prisão do suspeito, por isso retornou ao local.

O ajudante de motorista reconheceu Silva como o assaltante. No entanto, a mulher que estava ao seu lado no mesmo veículo, "disse não reconhecer o indiciado como responsável pelo crime", diz trecho do boletim de ocorrência.

Em outro trecho do documento, Silva "confirmou que tentou roubar uma vítima com uso de um simulacro. Ainda, negou ter praticado o crime com outras pessoas e disse não ter obtido êxito na prática do crime".

A vítima que teve a aliança furtada e recuperada não havia comparecido na delegacia até a elaboração do boletim de ocorrência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos