Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.718,04
    -2.265,48 (-5,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Home office, filhos em casa e exaustão: o impacto da pandemia sobre as mães

·1 minuto de leitura

A pandemia tem sido responsável por grandes impactos na saúde mental da população. E de acordo com estudos das universidades de Essex, Surrey e Birmingham, no Reino Unido, mães de crianças e pré-adolescentes têm tido um impacto ainda mais delicado, desde que os filhos passaram a estudar em casa.

Os pesquisadores analisaram como 1.500 pais de crianças entre quatro e 12 anos na Inglaterra lidaram mentalmente com o fechamento de escolas a partir de março de 2020. A análise se concentra nas diferenças de impacto entre pais cujos filhos voltaram à escola no início de junho e aqueles cujos filhos só voltaram em setembro.

(Imagem: Anthony Tran/Unsplash)
(Imagem: Anthony Tran/Unsplash)

As mães cujos filhos e filhas ficaram todo o período letivo em casa foram as mais afetadas, com maior probabilidade de relatar perda de sono, tensão, sensação de não conseguir superar suas dificuldades, sensação de infelicidade e até depressão. Outros efeitos incluíram mulheres perdendo a confiança em si mesmas, considerando-se inúteis e sentindo-se incapazes de desfrutar de suas atividades normais do dia a dia.

Os autores também relatam aumento na solidão, por conta do isolamento social, e atribuem como um fator para o declínio da saúde mental desse público. As mães cujos filhos não foram priorizados para voltar à escola apresentaram maior probabilidade de relatar solidão, em comparação com aquelas cujos filhos voltaram em junho.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos