Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.600,02
    +1.921,98 (+4,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Hollywood relaxa normas de segurança e higiene contra a COVID-19

·3 minuto de leitura

Após quase dois anos com o setor do entretenimento paralisado por conta da COVID-19, os maiores estúdios e sindicatos de Hollywood enfim chegaram a um acordo sobre os protocolos de segurança e higiene. Em 2020, estabeleceu-se uma decisão de curto prazo para colocar em prática normas de segurança e higiene que permitissem o retorno das produções de filmes e séries de televisão.

De acordo com a Variety, agora a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP, na sigla em inglês) e outras quatro organizações relacionadas aos estúdios e sindicatos de cinema fecharam um novo acordo para ajustar tais medidas, válidas até o dia 30 de setembro. Em nota divulgada, a AMPTP afirmou que "elenco e equipe [devem] estar totalmente vacinados" para poderem circular pelos ambientes ao ar livre sem máscara e seguir "protocolos atualizados em horários de refeição", embora não tenha ficado claro exatamente o que este último signifique.

(Imagem: Unsplash / Ahmet Yalçınkaya)
(Imagem: Unsplash / Ahmet Yalçınkaya)

"Os produtores também terão a opção de implementar políticas de vacinação obrigatória, dependendo da produção, para elenco e equipe interagirem em ambientes fechados comuns", complementa o informativo. Alterações adicionais, como ajustes na frequência de testes de temperatura e da COVID-19, estão inclusas para certas áreas nos Estados Unidos e Canadá, sobretuda aquelas em que as confirmações de número de casos estão muito baixas.

O comunicado encerra afirmando que "as partes continuarão monitorando de perto os desenvolvimentos da COVID-19 e considerarão outras modificações nessa ocasião", caso seja necessário.

Essas negociações vinham sendo discutidas desde setembro de 2020 e, de acordo com o comunicado, desde então os protocolos impulsionaram uma recuperação bem-sucedida da produção de filmes e televisão, priorizando a segurança para elenco, equipes e todos os trabalhadores no set.

Produções seguem sendo interrompidas após casos de COVID-19

House of the Dragon, da HBO, teve a produção paralisada após casos de COVID-19 no set (Imagem: Divulgação / HBO Max)
House of the Dragon, da HBO, teve a produção paralisada após casos de COVID-19 no set (Imagem: Divulgação / HBO Max)

Apenas na última semana, três séries de diferentes serviços de streaming chegaram a ter as filmagens paralisadas após casos confirmados de COVID-19 no set. A prequela de Game of Thrones, House of the Dragon, teve as filmagens paralisadas após um funcionário ser diagnosticado com COVID-19. A produção afirma seguir à risca as diretrizes da indústria, além de ter confirmado o isolamento do funcionário infectado, além de colocar em quarentena todos os membros que tiveram contato com ele.

Outra série que entrou nessa roda foi Bridgerton. O romance de época da Netflix teve um teste positivo para a doença pela segunda vez e pausou as gravações por tempo indeterminado. A produção segue estudando um cronograma para a retomada de filmagens da segunda temporada. A minissérie Masters of the Air, do Apple TV+, também teve que interromper as filmagens após "diversos casos de COVID-19 no set". Por conta da interrupção de duas semanas seguidas, a estreia foi jogada para 2022.

Eventos em meio à pandemia

74ª edição de Cannes (Imagem: Reprodução / Festival-Cannes.com)
74ª edição de Cannes (Imagem: Reprodução / Festival-Cannes.com)

O 74º Festival de Cinema de Cannes durou duas semanas com exibições ininterruptas de longa-metragens, além da presença de diversas estrelas do cinema como Matt Damon, Regina King e Timothée Chalamet. De acordo com a Variety, a organização gastou de mais de US$ 1 milhão para cobrir os custos de testes da COVID-19 para a produção e convidados, que juntos somavam aproximadamente 28 mil participantes.

Até a terça-feira, 20 de julho, não houve relatos de surtos da doença em Cannes, mesmo que regras mais rígidas para a admissão em eventos culturais só tenham entrado em vigor após o festival de cinema. Após a edição de sucesso, a indústria cinematográfica segue de olho para fazer os festivais do outono acontecerem - Veneza, Telluride, Toronto e Nova York.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos